Para onde vai o Irã?

Poucos países se manifestaram até o momento contra os atos de violência e repressão intensos praticados pelo governo do Irã, comandado por um terrorista, que não pára de assacar contra os que pensam diferente do atual regime.

Ontem o presidente da França em nota oficial, voltou a condenar a repressão sangrenta aos manifestantes no Irã. E acrescentou “Desde a eleição de 12 de junho de 2009, o povo iraniano pede pacificamente o direito de se expressar livremente e de escolher seu destino. A França está ao seu lado, como sempre está quando se trata de um povo que pede liberdade e justiça”, acrescentou a presidência francesa, solicitando “o fim da violência, a libertação de todos os opositores detidos e o respeito dos direitos humanos”.

O comunicado de Sarkozy segue em acordo com o que o Ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard kouchner em nome do governo, já havia dito dias atrás ao pedir a libertação de “todas as pessoas injustamente detidas”.

As manifestações no Irã que começaram logo após as eleições que culminaram com a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, e continuam forte em Teerã. O atual regime viola os direitos humanos, tortura, mata, proibiu a internet, enfim, trata-se de um regime de terror brutal, com o perdão da redundância.

A questão que todos se perguntam é: para onde vai o Irã? Segundo o The Wall Street Journal, os iranianos desejam mudança de regime, e algumas mensagens no twitter já informam que o Aiatolá Khamenei (foto) pode se refugiar na Rússia, caso seja necessário. Seis meses atrás o slogan era “onde está o meu voto”, hoje é “Khamenei é assassino e o seu governo é ilegal”. O Itamaraty também há poucos dias já se pronunciou que se houver derrubada do regime do Irã, irá a ONU se manifestar contra a derrubada. Para onde vai Lula?

*Ali Khamenei é o Aiatolá cuja designação no Irã é a de ser o Líder Supremo, e foi também presidente do Irã de 1981 a 1989.

ao topo