Para Sérgio Vilar

Caro amigo:

Tentei enviar comentário para sua notícia sobre a independência e não consegui. Segue aqui:

Vcs acham isso que Laurentino escreve realmente engraçado, significativo? Considero uma tremenda bobeira e nada original – ouço esses papos ao menos desde os anos 60, tenho a impressão de que Gondim da Fonseca mexia em tal matéria, Laurentino requenta sobras mal-cheirosas de anteontem.

Qual a maldição da diarréia principesca? Ela apenas atesta que Pedro possuía intestino – alguém duvidava disso, pensavam que ele era puro falo? Considerar a História do país medíocre por esse motivo é raciocínio mais que medíocre.

Não tenho o menor preconceito contra profissionais de qualquer área que escrevem sobre História. Não existe monopólio da História pelos historiadores, o que diferencia os últimos de outros profissionais que tematizam História é apenas terem obrigações metodológicas – consulta a documentos de época e leitura da bibliografia existente mais emprego de métodos analíticos adequados. Algumas das passagens mais bonitas que li sobre História foram produzidas por escritores como Michelet, Tolstoi, Lima Barreto e Euclides da Cunha.

Agora: comparar esse povo aos Laurentinos da vida não dá!

Confesso que não entendo esse encontro de Pipa: ano passado Danusa e Lobão (letrista legal, frasista inclassificável), neste ano Laurentino. Convescote de amenidades – agora, com dose fecal?

A paisagem de Pipa merece mais. Nem que seja por prosaicos motivos ecológicos.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo