Paulo Cesar Saraceni morre no Rio de Janeiro

Morreu, neste sábado, aos 79 anos, o cineasta, roteirista, ator e produtor carioca Paulo César Saraceni. Ele sofreu um AVC em outubro do ano passado e, desde então, estava internado no Hospital da Lagoa, Jardim Botânico. Saraceni morreu de disfunção múltipla dos órgãos. O corpo do cineasta será velado neste domingo na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.

Descendente de italianos, ele foi um dos precursores do Cinema Novo, ao lado de Nelson Pereira dos Santos e Cacá Diegues. Ao longo de sua carreira, Saraceni recebeu diversos prêmios, entre eles o de Melhor Filme para A casa assassinada (1970), no Festival de Brasília, e Prêmio Especial Júri, no Festival de Cinema Brasileiro em Miami, por O viajante (1998). Desde muito cedo, seu talento conquistou o público e a crítica. Seu curta-metragem de estreia, Arraial do Cabo (1959), acumulou sete prêmios em festivais europeus. O último trabalho, como diretor e roteirista, foi no filme O gerente (2011), baseado em um conto de Carlos Drummond de Andrade.

Antes de ingressar na carreira de cineasta chegou a tentar a sorte nos esportes. Nos anos 50, jogou no time juvenil do Fluminense, além de praticar natação e pólo aquático.

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Marcos Silva 14 de abril de 2012 22:35

    Sim, é uma triste perda.
    Divulguei neste SP, ano passado, um comentário sobre o filme “O desafio”: “Poesia salva do incêndio (O desafio)”. http://substantivoplural.com.br/marcos-silva/, 21 jul 2011.

  2. Jóis Alberto 14 de abril de 2012 20:15

    Grande perda para o cinema brasileiro. Excelente cineasta,profissional acessível e atencioso, sem estrelismos nas entrevistas para a imprensa, como tive oportunidade de constatar quando eu era repórter do “Diário de Natal” (anos 80 e 90).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo