Peça “O Fantástico Reparador de Feridas” será encenada sexta no TAM

Na próxima sexta (14) o Teatro Alberto Maranhão recebe a peça “O Fantástico Reparador de Feridas” do dramaturgo irlandês Brian Friel, uma produção da Companhia Ludens, de São Paulo. O espetáculo encenado pelos atores Walter Breda, Mariana Muniz e Rubens Caribé tem início a partir das 20h e marca o encerramento da programação do Bloomsday 2013, evento promovido pelo Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas (DLLEM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A entrada é gratuita.

A peça “O Fantástico Reparador de Feridas” é a quarta montagem da Cia Ludens, sendo produzida para o 13º Festival da Cultura Inglesa, ocorrido em São Paulo no ano de 2009. Foi apresentada em diversas cidades do interior de São Paulo pelo Circuito SESC de Teatro, além de ter participado da 6ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano e, em 2011, do 18º Festival Porto Alegre em Cena. O reconhecimento para este trabalho também veio através da indicação dos atores Walter Breda e Mariana Muniz ao Prêmio Shell de 2009.

A Cia Ludens foi fundada em 2003 com o propósito de montar textos teatrais irlandeses, possibilitando o diálogo entre as culturas brasileira e irlandesa. Em “O Reparador de Feridas” os três personagens principais são viajantes que se aventuram pelos interiores, apresentando um número que se situa entre uma representação teatral e um culto religioso de cunho sobrenatural. Frank, um homem com dons sobrenaturais. Grace, a advogada que busca justificar seu estado mental e Teddy, empresário de artistas exóticos e decadentes. A trupe vai de vilarejo em vilarejo se aventurando em novas histórias.

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Francisco dos Santos Cardoso 16 de junho de 2013 19:12

    Essa peça não tem diretor? Nenhuma das matérias de blogs e jornais cita o nome do diretor. Essa companhia não tem direção ou é descaso dos jornalistas por não se tratar talvez de um nome conhecido? Não há teatro ou Cia teatral sem diretor. Para estudantes de teatro que pesquisam recepção é fundamental essa informação. Pensem melhor nisso na próxima vez em que divulgarem peças teatrais. Acho um descaso imperdoável a omissão de uma dado como esse. Trata-se mania idiota e burra ditada pela televisão cujo foco é sempre alguma celebridade ou pseudo-celebridade. Uma das razões pelas quais o país vai mal cultural e intelectualmente. Blogueiros: informem-se mais, por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo