Petição para salvar as abelhas

Enviado por Fernando Monteiro, via e-mail:

“Silenciosamente, ao redor do mundo, bilhões de abelhas estão sendo mortas, ameaçando assim nossas plantações e segurança alimentar. Porém a proibição de um tipo de pesticida, poderia salvar as abelhas da extinção.

Desde que este veneno foi proibido em quatro países europeus, a população de abelhas já está se recuperando. Mas empresas químicas estão fazendo um lobby forte para manter a sua pesticida letal no mercado. Um chamado para baní-la nos EUA e na União Europeia, onde o debate é mais forte, poderá desencadear ações de outros governos ao redor do mundo.

Vamos fazer um zumbido global gigante para banir este veneno perigoso nos EUA e Europa a não ser que hajam evidências de que ele seja seguro. Assine a petição para salvar abelhas e as nossas plantações e encaminhe para todos”:

aqui

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Juliana Veneziani 20 de janeiro de 2011 18:15

    Boa noite. Tem uma colmeia com um enchame de abelhas na esquina da Rua Joao Cachoeira com a Joaquim Floriano, Itaim Bibi, SP. Sao milhares de abelhas que surgiram la e nao sabem para onde ir. Ja tentei fazer com que o Ibama, Policia Ambienta, Prefeitura, Bombeiros, Butanta e Usp as retirem de la sem machuca-las nem mata-las. Mas ninguem quer me ajudar. Sei que no maximo ate este sabado se nao tirarmos estas pobres abelinhas do meio da cidade irao ser destruidas por algumas destas instituicoes, moradores ou camelos da regiao, pois sao muitoas. Sera que alguem pode me ajudar? Socorro, vamos salvar estas colmeias e estas pobres abelinhas!
    Aguardo.Obrigada, Juliana.

  2. wesley 8 de janeiro de 2011 14:30

    bom , são nas pequenas coisas que devemos ter mais cuidados pois são elas que fazem tudo especial….. existe uma corrente., de trabalho esforço de nossas pequenas amigas.. n vamos deixar que o ser humano o “impetuoso” acabe com este circulo natural da natureza…, pois e grande a emportancia dessas pequenas criaturas para nosso eco-sistema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo