PIG IN OTÁRIO

Caros amigos:

Relendo meu post “Pig notório”, percebi uma informação minha truncada: Antonio Cãndido foi assistente de Roger Bastide, junto junto com Florestan Fernandes. O espírito da coisa, todavia, se mantém: a crítica literária, no Brasil, está aberta para História e Sociologia desde que nasceu (Sylvio Romero) e passando pelo episódio universitário (Antonio Cândido). Mesmo Mário de Andrade, falando sobre “Música de feitiçaria no Brasil”, fez crítica brilhante e pioneira ao conceito de mentalidade pré-lógica de Lévy-Bruhl.A. Como Gilda de Mello e Souza deixou claro, os estudos etnográficos de Mário de Andrade estavam vinculados à reflexão estética – logo, à reflexão sobre Literatura.
Chutes de notórios otários são bolas fora uma atrás da outra Tristeza, tristeza.
Abraços a todos:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo