Pílulas para o Silêncio (CXIV)

Aquella música que nunca
acepta su armonía es armonía:
(Aníbal Núñez)

Aquela música que dobra no ouvido do silêncio, e se ancora no olvido da vida, é harmonia.

***

Aquela outra música que arpeja no ouvido do esquecimento, e se enamora com o olvido dos dias, é mais que harmonia.

***

E aquela última música que gorjeia no ouvido do tempo, e se apaixona pelo olvido da eternidade, desarmoniza e, por isso, faz-se muito mais que harmonia.

***

Viver e não aceitar o morrer, com música, é pura harmonia.
clauderarcanjo@gmail.com

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP