Pílulas para o Silêncio – Parte IV

Escrever e (d)escrever é minha sina. Trágica, infinda e lírica sina.

***

Onde houver um gole de tristeza existirá um naco de bom senso para observar, e não se deixar levar, pelo mar de pretensos esperançosos.

***

Na noite passada, duas lágrimas furtivas fizeram com que os meus olhos aflitos e baços não assistissem à novela dos homens semivivos.

***

Diálogo entre dois teólogos da província.
— Deus existe, sabia?
— Para você, irmão, qual a prova mais definitiva da existência d’Ele?
— Simples, muito simples. Deus existe porque eu existo.
— …
E, a partir de então, o Paraíso se distanciou um pouquinho mais do inferno dos homens.

********

Clauder Arcanjo — Escritor
clauderarcanjo@gmail.com

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo