Pílulas para o Silêncio (Parte LIII)

Não afirmes…

Não afirmes que a manhã será sempre de luz, há de dias em que o anoitecer se estende sobre o véu do dia. Em tais casos, os ocasos se replicam indefinidamente, e, quase sempre, é melhor deixar o sol despertar serenamente, convencendo a lua ao seu rotineiro exílio.

***

Há dúvidas tão ridículas que não merecem a mais ínfima explicação.

***

A noite longa exigia um poeta para cantar suas angústias, mas imperou apenas o sórdido, doído e fatal silêncio.
A pragmática sociedade havia expulsado todos os seus “imprestáveis menestréis”.

***

Dobradiça defeituosa torna imprestável a mais nova das portas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo