Pílulas para o Silêncio (Parte XLIII)

Luto festivo

Quando soube que tinha poucos meses de vida, cuidou de preparar o mausoléu, de estabelecer o protocolo da missa de corpo presente, bem como os detalhes do velório, assim como das vestes de todos os familiares. Enfim, como sempre sonhara, um luto festivo.
Ao ser informado pelo médico que a doença regredira, ficou fulo da vida com o avanço da medicina.

***

A língua de um povo traz, na sua carne, a marca dos seus mitos, o ferro de suas tragédias, e a ferrugem de sua história.

***

Acordava cedo para reclamar do fim da noite, deitava na boca da noite orando pelo novo dia.

***

Quem navega em rio manso, sempre acredita que a sua canoa é a nau mais altaneira e digna.

***

O mundo deve muito mais aos tolos e aos loucos do que aos sensatos e precavidos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo