poesia de ontem

Sinto falta da poesia do bar./ Da recitação.

Não preciso ir a Roma para sentir Palestrina!

Levantar o copo e conseguir silêncio nos versos nerudas:

“Ainda que esta seja a última dor que ela me cause./ E estes os últimos versos que lhe escrevo”!

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 11 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 12 =

ao topo