Poeta Bianor Paulino faleceu

Poetas Moacy Cirne (esq.) e Bianor Paulino no Beco da Lama

Por Sérgio Vilar

O poeta e professor Bianor Paulino faleceu. A notícia me foi dada agora há pouco pelo presidente da Samba, Augusto Lula, via e-mail. Bianor era ilustre frequentador do Beco da Lama. Formado em Letras e Filosofia, seu nome figura em antologias poéticas e crônicas nos jornais da cidade. Tem intimidade com a poesia visual, com o poema processo. Nunca troquei palavra com o professor. Mas pelos elogios, pareceu ser uma grande figura humana. E esse mês de janeiro está estranho, muito estranho.

Comentários

Há 12 comentários para esta postagem
  1. cicero 9 de maio de 2012 22:45

    Quero deixar, ainda que tarde, meu protesto contra o silêncio no dia do lançamento de um num sei quê de pó-ema visual no prédio do Infern(o) e esqueceram de fazer a mais que justa homenagem ao velho Bianor. Estive na solenidade e vi amigos muito próximos fazerem uso da palavra e ignorarem, quando se falou em poesia visual no RN, o nome de Bianor como referência na aldeia. Uma pena e uma prova de que ele sempre, como Zaratustra, foi um solitário, mas jamais um otário.

  2. Carlos Antonio de Souza 10 de fevereiro de 2011 11:07

    Pelo seu legado, como pessoa e como poeta, Bianor continuará vivendo em nos

  3. cicero cunha bezerra 8 de fevereiro de 2011 15:49

    Um pássaro negro alça vôo sobre o rio
    rente a água a sombra corre
    olhos semi-abertos se fecham.

  4. Alex de Souza 26 de janeiro de 2011 12:10

    Era uma grande figura e um bêbado insuportável (como o são a maioria dos bêbados). Vai fazer falta nas reuniões do Sebo vermelho e nas mesas do Beco da Lama.

  5. Elvira Rosa 25 de janeiro de 2011 23:29

    Querido Bianor…de minha juventude regada a papos sobre Herman Hesse..de quem guardo pequenas palavras poéticas escritas nos guardanapos do Bardallos em 2007, sobre as quais ainda neste último sábado eu e Carlança comentávamos com Abimael aqui em Fortaleza.. Mais do que homem de vasta cultura, um ser generoso para com os amigos..alma torturada por amores dolorosos, vai agora, enfim, fazer poesia para e com almas afins..Fica em paz, inesquecível amigo!

  6. João Batista 25 de janeiro de 2011 22:36

    em salvador, de passagem, fiquei sabendo da notícia triste. liguei para abimael. fiquei triste.

  7. Pingback: Tribuna do Norte | Abelhinha - Ao poeta Bianor Paulino
  8. Pingback: //////////B.l.o.g...d.o...C.a.r.i.t.o//////////// ///////////////// Como um pássaro que fareja ilhas poéticas
  9. carlos de souza 25 de janeiro de 2011 9:40

    … nunca mais goles de cerveja falando principalmente de cinema com esse querido companheiro do beco. dia triste mesmo…

  10. João da Mata 24 de janeiro de 2011 18:50

    Sim, eu disse sim. Quando o poeta morre tudo fica mais triste.
    Como disse Civone, aquele dilúvio era um sinal. Estava caregando o poeta e tudo ficou mais cinza em Natal. .. Sempre taciturno. Calado. Tinha suas preferencias. Dizia que João da Rua era um de seus herdeiros na poetagem.
    Civone, tambem acordei debaixo d´agua descendo pelo conduto das luzes

    Saudades do meu querido Bia.

  11. Civone Medeiros 24 de janeiro de 2011 16:51

    LAMENTO! LAMENTO!

    Acordei essa manhã de cidadenxurrada num caos nada poético – limpando lama de cantos e quinas de nossa morada e arredores – com o telefonema do querido Raul Andrade, me avisando do passamento de nosso amigo, parceiro, poeta tão querido Bianor Paulino… Na 1ª hora deste 24 de Janeiro… Estamos muito tristes… Esta semana íamos visitá-lo no internamento… Agora, só na imaterialidade… Não sei o que dizer, passar…

    Na minha rede, algumas poéticas do Bianô… } http://naredecomcivone.blogspot.com/2011/01/lamento-2011-o-ano-da-morte-do-poeta.html

    ^cm

  12. Lívio Oliveira 24 de janeiro de 2011 15:23

    Triste notícia.
    Tomei algumas cervejas com Bianor. Ele também era amante dos haikais. Escreveu vários.
    Triste mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo