POETA DA SEMANA: José de Castro

José de Castro nasceu em Resplendor-MG. Vive em Natal desde 1976. Em 2015, recebeu o título de Cidadão Natalense. Professor aposentado do Departamento de Educação da UFRN. Ex-diretor da TV-Universitária. Mestre em Tecnologia da Educação. Criador da revista “Educação em Questão”, da UFRN. Jornalista, escritor, poeta. Em 2015, lançou dois livros de poemas: “Apenas palavras”, e “Quando chover estrelas”. Tem sete livros de literatura infantil/infantojuvenil publicados. Tem um livro de humor esgotado, “Quem brinca em serviço”. Participou de 19 antologias poéticas. Autor da peça teatral ”Ópera dos Gatos”. Publica textos regularmente no Recanto das Letras, no Substantivo Plural, no Blog do Marcelo Abdon e em sua fanpage https://www.facebook.com/Poemas-Prosas-Veredas-de-mim-155321637965770/  Contato: josedecastro9@gmail.com

*********

VERSO POUCO

verso pouco
quase nada
verso poeira
verso rouco
me alucina
verso louco
verso pedra
flor que medra
cio eterno
me fascina
esse barco
grão e arco
navegando
primavera

 

MINHA POESIA

Minha poesia
é um sopro de nada
que vai a lugar algum.
Um verso sem estrada,
vala cavada
num ermo comum.

 

OFÍCIO DE POETA

Acorda o dia
com olhos
de poesia.
Se engravida
de silêncio
e solidão.
Inventa estrelas, sol e lua,
novos mundos,
vastidão…
Poemar
é transbordo
de alma e coração.

 

DE QUE SÃO FEITOS OS POETAS?

De que são feitos
os poetas?

De estrelas?
Luas, quimeras?

Brisa, orvalho,
vento, esperas?

Ou seriam feitos de paixões,
incertezas e espantos,

cristal e chama,
sortilégios e encantos?

Os poetas são matéria sutil e breve,
leves como éter, luz e pensamento:

sopro, silêncio, alma, canção,
magia e alumbramento.

Sempre inacabados os poetas:
a tênue fugacidade do momento.
Às vezes, anjos sem asa.

 

LÂMINAS

Apesar de tudo, o poema insiste.
Afia o gume do verbo,
e corta fatias de sol.
Agudeza na poesia existe.
Palavra é faca afiada.
Quem sabe o lugar exato de cortar?
Cuidado, amigo,
um simples adjetivo pode matar.

Jornalista, escritor e poeta. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There is 1 comment for this article
  1. thiago gonzaga 24 de Maio de 2016 11:30

    José de Castro é um escritor de muito valor. E o Rio Grande do Norte deve se orgulhar muito de ter adotado o mineiro mais potiguar dos escritores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP