POETA DA SEMANA: Oreny Júnior

Oreny Júnior, oriundo do nascimento sob as bancas da feira do bairro do Alecrim e criado nas dunas da Cidade da Esperança, despercebido na atenção do tempo, ouvinte de prefixos mal sintonizados, onde o chiado é o verdadeiro poema, descansante das sombras das quixabeiras, das juremas e arueiras, nos berros dos aboios e no silêncio dessa inquietação que me corrói.

**********

Sublinhado

o tempo está sublinhado
como se a tecla travasse
a alma presa por si ao corpo
onde jaz sem partir
sublinhado ao egoísmo
quando diz
ainda me deves
e o preço é estar sublinhado
sem sombras
num céu de infelizes
o olhar sublinhado
no tempo de dentes
de porcelanas

Alvo

o
alvo
que
estava
no
olho
da
goiabeira
era
o
meu
limite
.
mirado
a
toque
de
baladeira
.
no bisaco

Assimetria

na
geografia
da
poesia
a
geometria
não
fecha
seu
polígono

Sociedade

sociedade de plástico
de fast food
de wi fi
fitness
de garrafa pet
de leite uht
sociedade de giga bytes
sociedade anônima e solitária
sociedade star wars
spotlight
sociedade android
iphone
ipad
whatsapp
sociedade instagram
face
twitter
sociedade society
red bull
drive thru
sociedade led
concertinas
cercas elétricas
câmeras
sociedade
medo medo medo medo medo medo medo
sociedade

Maternidade

o
que
carrego
na
língua
é
a
vasilha
com
o
leite
doce
do
peito
de
um
idiomaterno

Comments

There are 2 comments for this article
  1. Anchieta Rolim 16 de Maio de 2016 8:55

    Somos uma sociedade decadente, cheia de modismos, sem opinião própria, manipulada por mídias fajutas e etc, etc e tal… Tudo isso e muito mais, está bem descrita nos versos e fontes desse belo poema. Parabéns, poeta Oreny!

  2. Oreny Júnior 16 de Maio de 2016 9:18

    Bravo, a poesia pede passagem!
    Abrações a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP