Pois é, Poe!

Uma avenida longa percorro
olho as casas mudas das viúvas
silêncios escuros ouço e calo
imagens de um outro dia atroz:
as luzes quebradas dos postes
a tinta cinza e suja das paredes
um gato pardo que cruza o caminho
dentro vozes e sombras desenhos
bruxuleantes da cozinha à sala
ancestrais fantasmas acordam
sorvendo a energia pouca etérea
dos viventes preguiçosos solteiros
e o dia aparece então na janela
travestido de sóis otimistas em vão
enganando o homem vazio sentado
que fuma incauto no batente e no pó
e que leva ao trabalho rasgada pasta
e medos guardados há mais de cem anos
e um corvo que mexe e pula sem cessar.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 14 comments for this article
  1. Jarbas Martins 23 de Janeiro de 2014 6:36

    Pois é, a poesia de Lívio Oliveira continua para mim cada vez mais viva e atual, uma das poucas que se sobressaem, em nossa província, pela sua densidade e verdade artística.

  2. Lívio Oliveira 23 de Janeiro de 2014 8:04

    Vão dizer que sou piegas por ficar grato e demonstrar, mestreamigo Jarbas. Vão. Em vão. Obrigado, mesmo!

  3. Anchieta Rolim 23 de Janeiro de 2014 8:14

    Outro belo poema esse. Parabéns, L´vio!

  4. Lívio Oliveira 23 de Janeiro de 2014 9:05

    Valeu, grande Anchieta!

  5. Marcos Silva
    Marcos Silva 23 de Janeiro de 2014 11:27

    O poema é uma bonita evocação do grande Edgar Allan Poe (admirado pelo gigantesco Charles Baudelaire) e o título foi muito bem definido, é um verso ele mesmo. Como leitor, sinto, no corpo do poema, um excesso de adjetivos. Sei que é uma opção do poeta, claro – é Lívio faz isso muito bem. O próprio título, todavia, indica que o achado poético dispensa tal recurso.

  6. Marcos Silva
    Marcos Silva 23 de Janeiro de 2014 11:29

    Esqueci de dizer que o título tem dois possíveis desdobramentos em português: pois é, pô! pois é, poeta!

  7. Lívio Oliveira
    Lívio Oliveira 23 de Janeiro de 2014 12:36

    Marcos, antecipo-me em responder. Acho que foi o inconsciente. Rsrs.

  8. Marcos Silva
    Marcos Silva 23 de Janeiro de 2014 23:05

    O terceiro desdobramento vem de Luís Carlos Guimarães: pois é, poesia.

  9. Marcos Silva
    Marcos Silva 24 de Janeiro de 2014 9:04

    Corrigindo: o título de Luís Carlos (coluna e coletânea) é “Pois é a Poesia”.

  10. Lívio Oliveira 24 de Janeiro de 2014 9:46

    Que tem a ver com Décio Pignatari. É isso, Jarbas?

  11. Jarbas Martins 24 de Janeiro de 2014 11:22

    parece um palimpsesto. sobre um escrita antiquíssima de Décio Pignatari, à maneira de um poema (PAPYRUS) de Ezra Pound, um historiador experiente e criativo, chamado Marcos Silva,deixou-se trair, respingando os traços góticos de Poe. retorno ao velho sábio da Poesia Concreta, me aproprio de uma rasurada palavra sua, e escrevo como um título: POEMEU.

  12. Jarbas Martins 24 de Janeiro de 2014 11:41

    mas o poeta Lívio Oliveira, que sabe que poesia se escreve com palavras, como Mallarmé, esquece estas especulações bestas que escrevi sobre seu poema, e o publica da maneira como o concebeu num livro, cujo título já prenuncia o seu jovial talento: RESMA (anagrama de MARES ou MARÉS).

  13. Lívio Oliveira 24 de Janeiro de 2014 15:12

    Eu falava, Jarbas, do título da coluna de Luís Carlos Guimarães (lembrado por Marcossilva). Parece que tem a ver com alguma publicação de Pignatari. Ou, sim, estou errado? Ou não?

  14. Jarbas Martins 24 de Janeiro de 2014 17:38

    Tem sim, poeta Lívio Oliveira.”POIS É, POESIA” ( obra que reúne poemas pré-concretos, os da fase da revista NOIGANDRES e traduções) é o livro de Décio Pignatari que serviu de inspiração para o livro de Luiz Carlos Guimarães.Na pressa de escrever o comentário, esqueci de falar em Luiz Carlos (velho amigo, juiz de direito com quem cheguei a trabalhar nas comarcas de Lajes e Angicos, minha terra).Luiz chegou a escrever poemas para-concretos, mas nunca aderiu à vanguarda literária.Abraços, Poeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP