Por um carnaval sem cordas

“Eu quero lançar uma crítica e instigar um movimento de arrebentação das cordas que separam os componentes de blocos dos foliões pipocas. Das cordas que cercam e sacralizam artistas mediocres e estimulam a segregação que se reproduz em atos de violência”. Murilo Rodrigues Guimarães

aqui

ao topo