Portão de Brandeburgo

Ele caiu ( ? ) num Nove de Novembro
Ouvimos ainda o seu ribombar
Nos gestos e gritos de jovens de todos os recantos

Trouxe uma pedra
O portão
Brandeburgo
Mortes

No muro antigo
Pinturas
Um Horror
Irmãos separados

Picaretas derrubam o muro
Picaretas governam o mundo
Os homens são loucos
Para entrar

Por cima das ossadas
Um canteiro de obras
Enganam-se vocês amigos
Padres pedófilos
Prostitutos
Pobres
Moralistas
analfabetos políticos

O muro não caiu

Ouça o seu lamento!

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 10 comments for this article
  1. Olavo Saldanha 30 de Julho de 2013 16:24

    Resistiu ao exército soviético, resistiu até ao muro e ficou para a história. Fica nos gestos e gritos de jovens de todos os recantos.

  2. João da Mata
    DAMATA 30 de Julho de 2013 18:22

    Caro Tácito, onde está a opção procurar no novo SPLural? Tento encontar alguns textos e não sei como. Abraços fraternos do amigo de sempre

  3. Tácito Costa
    Tácito Costa 30 de Julho de 2013 18:47

    Damata velho de guerra, você levou falta no jantar para Marcos Silva. Compreendo, não tem como honrar tanto compromisso – rs. Clique no espaço à direita do nome SUBSTANTIVO PLURAL. Abç.

  4. João da Mata
    DAMATA 30 de Julho de 2013 20:07

    Amigo Tácito e Marcos.

    Estava com duas garrafas de vinho no Carro. Saí para a casa de Ednar e consegui chegar no Makro. Telefonei para Ednar dizendo do meu destino. Não consegui encontar a casa. rodei, rodei, etc. Um boteco é testemunha. Passei duas vezes por esse lugar procurando a bendita casa. Desculpe Marcos. Queria te abraçar e confraternizar com os amigos.

  5. Ednar Andrade
    Ednar Andrade 30 de Julho de 2013 20:48

    Querido, Da Mata, até agora lamento o desencontro. Tão combinado, tão esclarecido e mesmo assim, não deu certo. Em dado momento, de tanto te esperar, tanto Danclads, quanto Tácito, ligaram para saber se estavas por perto: alguém iria te buscar. Teu celular não atendia. A noite foi boa. Caprichamos no cardápio, não foi Tácito e Denise? Rsrsrs… Bem, a noite se estendeu… Depois de um breve descanso de Marcos, retomamos a festa e cantamos canções tão lindas (capela), mesmo assim, muito belas.

    Bem, em agosto prometo outro encontro, desta vez na praia, visto que aqui não comporta tanta gente. Antes disso, poderemos marcar algo para que fiques conhecendo o endereço.

    Abraço, amigo.

    Até.

  6. Marcos Silva
    Marcos Silva 30 de Julho de 2013 20:48

    Pena vc não ter ido, o jantar foi ótimo, houve elogios ao chef de cuisine
    Abraços

  7. Danclads Andrade
    Danclads Andrade 30 de Julho de 2013 20:54

    A festa ficou na história e na memória de quem lá esteve. Tácito elogiou as saladas de Ednar, disse que o segredo é o molho e o molho ela não revela a ninguém, nem a mim… Rsrs… A festa foi boa: um pequeno grupo, até mesmo por causa do espaço que não comportaria tantos. Prometemos um espaço maior em agosto, em Pirangi.

    E, Da Mata, amigo, que pena! Ednar ainda resmunga pelos cantos porque você não chegou, mas segundo ela: “a vida é uma festa”, então não nos faltarão oportunidades.

    Até a próxima.

  8. Danclads Andrade
    Danclads Andrade 30 de Julho de 2013 20:57

    Aos navegantes: tem também um projeto em andamento. Espero que aconteça. Ela pensa em criar um café quinzenal lá na praia, onde além de café feito por ela, os navegantes terão espaço para discutir de Política a Literatura, num afável ambiente que alguns já conhecem.

    Estamos em obra… Rsrsrs…

    Abraço a todos.

  9. Danclads Andrade
    Danclads Andrade 30 de Julho de 2013 21:06

    Da Matra, amigo, o muro físico caiu; o muro moral ainda não. O mundo se ressente de mudanças profundas no modus governandi. Gostei do verso: “Picaretas derrubaram o muro, Picaretas governam o mundo”, infelizmente é assim, infelizmente tem sido assim.

    Bastou o chefe do PC da Alemanha Oriental, Egon Krenz, dizer um lacônico: “É hoje” para milhares de pessoas saírem às ruas e derrubarem o símbolo da opressão, da divisão, que separava famílias, que partia ao meio um país.

    Mas, não basta derrubar o muro de Berlim, não basta derrubar a Bastilha. Como diria Gorbachev: “Não basta matar o elefante, temos que removê-lo”. Não basta, pois, derrubar um governante, um muro, se o mundo continua do mesmo jeito imperfeito que não queremos. Temos de exigir mudanças e fazer deste mundo a casa que sempre desejamos.

  10. Samara Cruz 31 de Julho de 2013 5:30

    E o muro lá na palestina ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP