POUCO

Por Carlos Gurgel

o que resta ainda em mim ?
talvez essas sandálias errantes
esse minúsculo bigode
ou esse cântaro de folhagens e estios?

quase
quase nada

só um espectro cansado
como lança de uma chama no ar
e desse mar circunspecto
que eu olho
e me passo

em mim
nas minhas juras
e nesses meus cestos do fim ?

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo