Pratodomundo: Festival gastronômico com Sergio Sampaio, Beatles e petiscos em conta

Li pelas redes sociais o lamento de uma moça a respeito da elitização branca no Festival Gastronômico promovido na Praça Cívica. Preços caros e consequentemente inacessíveis à populaça, ausência de “caboclos” no evento e até truculência policial contra ambulantes. Não sei porque não fui ainda; e nem duvido. Mas há, também dentro da programação do Natal em Natal, um festival gastronômico aberto a todas as siglas e escalas sociais. É o Pratodomundo, o Festival Gastronômico do Beco da Lama.

Funciona assim: bares das adjacências do Beco, no Centro Histórico, preparam pratos-petiscos diferenciados ao preço de R$ 10. Serão servidos a partir deste sábado, nos seguintes bares: Bar do Pedrinho, Bar Fim de Noite, Bardallos, Bar do Zé Reeira, Encontro dos Boêmios, Bar do Coelho e Bar Inverno Verão. Os melhores petiscos recebem uma premiação ainda não anunciada pela Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências (Samba), promotora do Festival, que este ano completa 11 anos.

Dois shows animarão os próximos sábados. Para abrir o apetite, a partir das 18h deste sábado tem Danilo D´Sales e Banda, e na sequência, o duo Giancarlo e Moisés de Lima com o melhor dos anos 60 e 70, com predominância beatle no repertório. Ambos no Bardallos. No sábado seguinte, dia 20, Sérgio Sampaio descerá dos céus para tocar por lá, incorporado à voz de Irahn Barreto, a partir das 19h. Este último, no Beco da Lama propriamente dito, à Rua Dr. José Ivo. Tudo acesso livre, seja para caboclos, ambulantes ou quem seja.

ADENDO: Gostaria de ter escrito um informe mais positivo do evento e da Samba. Podem me acusar, de novo, de “insinuações maldosas”. Nem aí. Mas ligo para o manda-chuva da Samba, Dorian Lima para saber sobre a premiação não divulgada do evento, para completar as informações. Ele desconhece. No informe enviado pelo diretor cultural da Samba, Rafael, a informação de que mais uma vez será feito o recadastramento para novos sócios. Massa. Pergunto uma “estimativa” de quantos filiados há hoje na Samba. Dorian desconhece. Pergunto sobre a esperada prestação de contas da Samba. Dorian não sabe.

E o release fala em ação inédita para “aumentar a transparência em relação às informações divulgadas sobre a Samba”. Não dá, compadre. E olhe que antes, para as assembleias da entidade, se tocava sino para chamar a quem quisesse participar. As pouquíssimas que houve nesta gestão foram secretíssimas, como se uma entidade dessa “envergadura” pudesse ter segredos, e justo num Beco que se diz tão democrático e libertário.

Bom, Dorian estava no ônibus e disse não ter as informações “de cabeça”. Também disse estar se virando com outros vários eventos particulares e sem ninguém para dividir tarefas da Samba. Fica difícil, realmente. Então ficam aí as perguntas para quem tiver ou se interessar em saber, responder. Sejamos realmente transparentes!

ADENDO 2: A imagem que ilustra este post é uma tela de Assis Marinho, que um dia estampou o banner de divulgação do evento. Este ano a arte sumiu do Festival.

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo