Primeira revista dedicada ao audiovisual e à fotografia potiguar será lançada nesta sexta

Dentro da noite de lançamento e inaugurações marcada para esta sexta-feira (22), às 19h, no Pinacoteca do Estado (Praça 7 de Setembro, S/N, Cidade Alta) será lançada a revista “Carcará”, publicação que traz um panorama da produção de fotografia, cinema e vídeo no Rio Grande do Norte.

O evento contará ainda com o lançamento da revista em quadrinhos “Quando os Anjos Queimaram”, da Coleção Evaldo Oliveira e catálogo do Salão Dorian Gray de Arte Potiguar.

Também serão inauguradas a Sala de Restauração e Sala de Vídeo da Pinacoteca do Estado e aberta a exposição “Caminhos da Arte Potiguar – Século XX e XXI” com obras do Governo do Estado, sob a curadoria de Dione Caldas e Dione Marques.

Carcará
859963ca-9437-4b73-87c7-3c8e55a3ce54Editado pelo jornalista Rodrigo Hammer, a publicação vem se juntar aos projetos literários criados pela FJA como o jornal O Galo e a Revista Preá, levando seu foco para as obras de diretores, fotógrafos, roteiristas, músicos, sonoplastas, cenógrafos, figurinistas e maquiadores profissionais e amadores.

A publicação concentra as novidades dá área, segundo afirma o editor: “Criamos um veículo para reunir o que há de novo na área contrariando a dispersão virtual de sites, expondo o trabalho de realizadores com fidelidade ao que vem sendo gravado, lançado ou exibido no RN”, diz Hammer.

O primeiro número da Carcará traz O Fórum do Audiovisual do RN, um documentário sobre o Passo da Pátria, perfis sobre a produtora Keila Sena e o cineasta Carito, além de uma matéria especial sobre a passagem de Zé do Caixão por Natal.

A revista “Carcará” será lançada também neste sábado (23), a partir das 20h, na Casa de Cultura de Caicó.

FOTO: ALEX RÉGIS (filme Passo da Pátria)

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo