Psicose e o cinema

Caros amigos e caras amigas:

Os comentários de Moacy Cirne e Francisco Sobreira sobre Psicose, de Alfred Hitchcok, são ponderados e concordo com eles sobre a superioridade de Janela indiscreta e Vertigo, do mesmo diretor. Quero salientar, todavia, a força de Psicose na memória coletiva. Hitchcock me impressiona por ser um diretor que garantiu uma presença na opinião pública (não apenas entre cinéfilos) e esse filme é um dos mais lembrados por todos, talvez até o mais lembrado. É claro que um grande diretor como ele fez muito filmes excepcionalmente bons (é difícil escolher o melhor Bergman ou o melhor Visconti, por exemplo). E o mundo seria bem pior sem seus filmes, mesmo os mais simples que realizaram.

Sem querer fazer um ranking, prefiro pensar que Psicose é um grande filme a ser visto sempre, junto com outros de igual nível.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo