Quando a língua se transforma em objeto de manipulação ideológica e controle social.

Entrevista especial com Marcos Bagno  “A norma padrão (da língua portuguesa) é obsoleta e anacrônica. Ela não se inspira na realidade dos usos, nem mesmo nos usos escritos da literatura contemporânea, mas numa literatura que data de mais de 200 anos”, constata o filólogo.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + cinco =

ao topo