Que importa?

Que importa? Que a moça alta de olhos azuis a desprezou quando perguntou o preço de um vestido caro. Não foi em outras lojas como fez Julia Roberts em uma linda mulher. Pagou o vestido e foi embora para não perder tempo diante da provável perplexidade da vendedora. Quem se importa?

Que importa? Que ao pegar uns livros: OLHOS AZUIS, OLHOS D’ ÁGUA, MULHERES RAÇA E CLASSE, QUARTO DE DESPEJO, PEQUENO MANUAL ANTIRRACISTA, EU SEI QUE O PÁSSARO CANTA NA GAIOLA, O ANO EM QUE DISSE SIM, NA MINHA PELE, NEM PRETO NEM BRANCO MUITO PELO CONTRÁRIO, O SOL E PARA TODOS, na estante de uma livraria tenha tocado de leve nas mãos de uma desconhecida com ares de nojo. Quem se importa?

Que importa? Que uma tia de gargalhada fina e sibilante tenha a acusado de esconder um moletom de sua filha. Descobriu estarrecida que a cobra peçonhenta armou o crime. Quem se importa?

Que importa? Que uma senhorinha fofa tenha pedido para que ela não chegasse muito perto por que não gostava de gente “assim”… Quem se importa?

Que importa?  Que tenha ouvido de uma das melhores amigas: você até que se parece com a gente…tão inteligente e fina. Quem se importa?

Que importa?  Que ao usar o açúcar das cozinheiras tenha ouvido perplexa que aquele açúcar com formiguinhas era apenas para pessoas tipo elas. Quem se importa?

Que importa? Que tenha ouvido em uma festa luxuosa com bolos de açúcar cristalizado – “lugar de empregada é na cozinha”.  Quem se importa?

Que importa? Que um menino de oito anos tenha sido expulso da calçada de uma loja de grife. Quem se importa?

Que importa? Que o entregador tenha ouvido palavras de ofensas de um sujeito ordinário. Quem se importa?

Que importa? Que você não se lembre: do caso da professora acusada de furtar em um supermercado? Da moça que foi baleada a caminho do trabalho? Do empresário que fez acusações contra uma celebridade?

Que importa? Quem se importa? Ainda assim eu vou cantar!

“Deixando para trás noites de terror e atrocidade

Eu me levanto

Em direção a um novo dia de intensa claridade

Eu me levanto

Trazendo comigo o dom de meus antepassados,

Eu carrego o sonho e a esperança do homem escravizado.

E assim, eu me levanto

Eu me levanto

Eu me levanto.”

Maya Angelou

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo