Que tal assistir a uma boa comédia durante a folia de Momo?

Por André Barcinski
FSP

Sei que nenhum filme tem o potencial cômico da Rosas de Ouro homenageando Roberto Justus, mas, mesmo assim, quero sugerir alguns.

Pensei em quatro sessões duplas, uma para cada dia de Carnaval. Só alegria:

“A General” (Buster Keaton) e “Em Busca do Ouro” (Chaplin)

Dois clássicos do cinema mudo e origem de um sem-número de “gags” visuais que são copiadas até hoje: a casa arrastada pelo vento e balançando num precipício; o homem faminto que confunde outro com um suculento frango; um trem desgovernado; e por aí vai. Dois gênios da comédia em seus auges de criatividade.

História do Mundo (Mel Brooks) e This is Spinal Tap (Rob Reiner)

Dois clássicos do besteirol. No primeiro, Mel Brooks dá a sua versão esculhambada e politicamente incorreta de grandes acontecimentos da humanidade; no segundo, Rob Reiner inventa o falso documentário musical e eterniza os clichês estúpidos do heavy metal.

Um Príncipe em Nova York (John Landis) e Um Tira da Pesada (Martin Brest)

Para compensar a ausência de Eddie Murphy como apresentador do Oscar, vou rever, pela milésima vez, meus dois filmes prediletos do gênio. Se sobrar um tempinho, jogo no bolo ainda o DVD com o melhor de Murphy no “Saturday Night Live”.

“Fawlty Towers” e “Monty Python ao Vivo no Hollywood Bowl”

Um dos melhores presentes que ganhei na vida foi a caixa com os 13 episódios de “Fawlty Towers”, a série que John Cleese fez depois que saiu do Monty Python. Cleese faz Basil Fawlty, dono de um pequeno hotel no interior da Inglaterra. Até hoje, meu personagem cômico predileto. Vou escolher uns três episódios, incluindo o melhor de todos, “Gourmet Night”. E emendar, claro, com “Hollywood Bowl”, meu filme predileto do Monty Python, que está completando 30 anos.

Bom Carnaval e até quarta.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =

ao topo