Quem é o melhor poeta vivo e falecido do RN

Matéria solicitada por um jornalista de um Jornal do RN e não publicada.
Fico triste com o tipo de jornalismo praticado no nosso estado. Um jornalismo parcial, seletivo e raivoso. Enfim: muito pobre.

O jornalista pede-me para eleger o melhor poeta vivo e morto do Rio Grande do Norte. Tarefa difícil em terra de grandes poetas. A grande poesia não tem tempo e é imortal. O poeta se encanta e seus versos ficam impregnados nas dobras da existência.

Penso que grande parte da poesia atual está acima da poesia, enquanto realidade de uma poesis. Uma poesia adjetivada. Uma poesia conceitual. O critico italiano Benedetto Croce já vislumbrava essa tendência em Dante. Depois, essa tendência foi potencializada.

Os críticos fazem outra coisa. Filosofam sobre o que a poesia já filosofou. Pound leva essa tendência ao extremo, e deseja uma crítica científica. Perde a poesia. Perde a obra de arte quando não comunica. E ficamos cada vez mais solitários.

Não esquecendo o pedido do jornalista, elejo com o maior poeta do RN, a poetisa Zila Mamede, pela maestria e burilamento do verso. Pela riqueza dos temas trabalhados feito um artesão que utiliza o arado para semear versos nas grandes vagas de um mar que causa vertigem e depois o sertão de um banho rural para mencionar um dos seus mais belos poemas. Se daqui uns tempos perguntarem o que ficou sedimentado da rica poesia potiguar: não tenho dúvida de que entre vivos e mortos estará a poeta de Rosa de Pedra.

Entre os vivos, caminho no fio da navalha e escolho o poeta octogenário Deífilo Gurgel. Grande poeta e cultor das nossas raízes culturais sua poesia é rica em conteúdo e verve. Um incansável poeta que multiplica em versos o seu longo caminhar indiferente aos ventos salobros das lavadeiras de uma leviana cidade-mulher.

ps. Parte do conteúdo dessa matéria foi transmitida via telefone. Logo após forneci meu email e o jornalista enviou mensagem pedindo para escrever o quanto desejasse. Foi o que cordialmente fiz na certeza de que a matéria seria publicada. E mais, o(a) jornalista disse que não precisava de foto pois já tinha no arquivo do jornal.
Gostaria de ter indicado mais um poeta, mas a solicitação era para escolher somente um. Não foi isso que foi publicado no jornal

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − três =

ao topo