Quem escreve os livros

Prezado Fernando:

Tendo a concordar com vc: não importa de imediato o sexo de quem escreveu um livro, o importante é o livro.
Para não cairmos num idealismo absoluto, como se os livros se escrevessem sozinhos, vale a pena também estar atento à mão e ao cérebro que os geraram. Aí, entram considerações sobre sexo, nacionalidade, classe social, religião (ou ausência de), formação… Não para desqualificar ou super-qualificar ninguém antecipadamente à leitura mas para entender seu fazer-se. É por esse motivo que existe uma Sociologia da Literatura (e uma História, uma Antropologia, uma Psicologia etc).
Nos EEUU, recentemente, existe uma campanha contra as considerações sociais em relação ao literário. Prefiro pensar que a Literatura faz parte do mundo social, sim, sem nenhuma teoria de reflexo. E faz parte tanto por nascer dele quanto por também gerar sua existência.
Sobre a Literatura feita por mulheres: houve tempo em que ler e escrever era quase um luxo de classe e de gênero. As mulheres não começaram a escrever com o Feminismo, claro. E homens e mulheres escrevem uns para os outros, lêem uns aos outros.
Detesto políticas culturais de gueto (gays lerem somente gays, mulheres lerem somente mulheres, machões lerem somente machões…). Prefiro pensar que quando lemos quem se parece conosco e quem difere de nós aprendemos que todo mundo tem algo de todo mundo: um gay tem uma mulher e um machão em seu ser, uma mulher tem um machão e um gay em seu ser, um machão tem um gay e uma mulher em seu ser… O mesmo poderia ser dito sobre judeus, palestinos, índios e quakers.
Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo