“Quincas Berro D’Água”

“É mais difícil fazer um morto do que um vivo”, confessa Paulo José.

aqui

Comments

There are 3 comments for this article
  1. Marcos Silva
    Marcos Silva 10 de Maio de 2010 19:52

    Tácito:

    Não consigo abrir esse post.

    Marcos Silva

  2. Tácito Costa
    Tácito Costa 10 de Maio de 2010 21:16

    Ok Marcos, já consertei. Testei e funcionou. Cheque aí se o link está remetendo para o texto. grato e abs

  3. Marcos Silva
    Marcos Silva 11 de Maio de 2010 4:54

    Amigos e amigas:

    Agradeço a Tácito pela atenção.
    Tenho muita curiosidade por esse filme. “A morte e a morte de Quincas Berro d’ Água” é um dos melhores textos de Jorge Amado, penso que o formato novela de novela curta (ou conto longo) foi bem explorado por ele, há um balanço sensível de temas anteriores de sua obra. O diretor do filme, Sérgio Machado, fez antes o sensível “Cidade baixa”, inspirado livremente em temas de livros mais antigos de Jorge (Suor, Jubiabá, Mar Morto, Capitães de Areia) e com excelente trabalho de atores – Wagner Moura, Lázaro Ramos e Alice Braga, mais uma participação brilhante de José Dumont. E Paulo José, no filme atual, é uma garantia de alta qualidade interpretativa – quem fez Macunaima e O Padre e a Moça tem grande história como ator de cinema.
    Conversei com Machado em 2008 (simpósio sobre audio-vidual, no Teatro Castro Alves), pareceu-me figura muito inteligente.
    Abraços a todos e todas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP