Recebendo a Primavera

Primavera – I

A primavera chegou e ninguém notou.
Será que foi baixinho ou a cor não mudou?

A primavera chegou e ninguém sorriu
Ou foi alguém que dormiu?

A primavera entra sem dizer nada
Acho que foi minha amada?

Saudando a Primavera – II

A terra renasce em uma sinfonia de cores
O coração tange acordes da agonia
Quisera, como Goethe, fazer da dor um poema.
Faço uma cantilena,
E brinco de fazer cor
Arcoirisando a dor.
E saudando a primavera.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 5 comments for this article
  1. Anchieta Rolim 30 de Setembro de 2012 22:07

    Que seja bem vinda Damata. Um abraço!

  2. Olavo Saldanha 1 de Outubro de 2012 13:34

    Damata, tive o prazer de vê-lo recitanto este poema no sarau do Bazar, uma bela recepção à Primavera.

  3. João da Mata
    DAMATA 1 de Outubro de 2012 13:52

    Obrigado Rolim e Olavo, pela recepção ao meu poema. No recital falei outros poemas, além destes. Um forte abraço.

  4. Danclads Lins de Andrade 5 de Outubro de 2012 21:54

    Esse poema eu conheço e gosto, vi recitado no Ateliê Bazar.

    Valeu, Da Mata!!!

  5. João da Mata
    DAMATA 6 de Outubro de 2012 11:50

    Querido amigo, Dan. Creio firmemente na poesia e no que elas escondem. Mais do que o dizer versos vale viver a poesia . Vale aprender a desenhar e colorir as paixões. Vale os gestos. Vale as intenções … Voce é um homem elegante que veste a poesia e ama a ciencia. Gosto disso. abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP