Recital ‘Doce Indefinição’ acontece nesta sexta com acesso livre e uma seleção de músicos!

Nesta sexta e com acesso livre a partir das 20h acontece o recital “Doce Indefinição”, que surge do desejo de apresentar o repertório do Conjunto SCHÖN na Escola de Música da UFRN.

Numa leitura mais lírica, sem bateria e sem saxofone, a noite será aberta por piano solo e na sequência contrabaixo acústico, canto lírico e flauta, com os músicos Oswin Lohss, Edilton Costa de Lima (Barbosa), Cláudia Cunha, Venicius Viana, Lailson Toscano, Ivo Shin.

Tanto na vida privada, quanto na montagem de um trabalho musical autoral, quanto na própria situação global deste mundo, encontramos de um lado o desejo de clareza e de definições e do outro lado a latente impossibilidade de ter este desejo contemplado.

Ao assumir a impossibilidade da certeza total, somos levados a curtir a doçura desta condição, a Doce Indefinição que a vida por vezes nos oferece; e sem esta, a vida deixaria de ser o que é.

A mistura de música instrumental com música cantada, com letras em português, inglês e alemão, de música erudita contemporânea com elementos do jazz, blues, e da música popular promete uma noite de clima sublime na expectativa de um final de ano pacífico.

Partindo do repertório do CD gravado em 2013, serão também apresentadas obras inéditas, incluindo “Nachtwache” (noite em claro) com letra do pai do compositor Oswin Lohss, Eberhard Lohss.

Dentre as músicas executadas na noite estão trilhas de peças de teatro e dança como “Elas” e “Garcin” e “Tango do Inferno”.

Uma versão inusitada de “A Correnteza” de Tom Jobim e Luiz Bonfá, desta vez num compasso de cinco por quatro.
A canção “Love Speaks Many A Song” (O Amor fala muitas Línguas). “Poema de Uma Tarde Primaveril”, letra de Barbosa da Silva do coletivo “Sol Negro”.

E, é claro “Doce Indefinição” música dedicada a Ruben Figaredo, com letra de Fátima das Ondas Oliveira.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo