Religiosos pressionam e Dilma suspende “kit anti-homofobia” para escolas

EFE – YAHOO

Brasília, 25 mai (EFE).- A presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira a suspensão da elaboração do “kit anti-homofobia”, um material sobre a homossexualidade e o combate à homofobia que seria distribuído em escolas públicas e havia gerado protestos de grupos religiosos.

A polêmica sobre esse material cresceu nos últimos dias, sobretudo depois que o Supremo Tribunal Federal decidiu que a união civil entre duas pessoas do mesmo sexo é equivalente à união heterossexual perante a lei. Grupos católicos e evangélicos criticaram a decisão judicial e alertaram sobre projetos que, segundo afirmaram, pretendiam “induzir” os adolescentes que estudam em escolas públicas à homossexualidade.

Na quinta-feira passada o ministro da Educação, Fernando Haddad teve reunião com parlamentares da bancada evangélica e disse que a pasta não fará mudanças no material que compõe os kits de combate a homofobia.

Porém, nessa quarta-feira o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que o governo entendeu que “seria prudente não editar esse material”. Carvalho explicou que Dilma tomou sua decisão após conversar sobre o assunto com parlamentares de diversas religiões que criticaram o projeto.

O material estava sendo elaborado por empresas contratadas pelo Ministério da Educação (MEC) e seria distribuído ao final de cursos sobre direitos humanos e minorias que devem ser ministrados para alunos do Ensino Médio de escolas públicas.

Segundo o MEC havia antecipado, o material que estava em preparação incluía vídeos que mostravam como o amor surgia entre dois meninos ou entre duas meninas, além de depoimentos de travestis e transexuais sobre suas vidas e relações amorosas.

Carvalho disse que, após conversar nesta quarta-feira com os parlamentares que se opõem ao projeto, Dilma decidiu ainda que “daqui para frente todo material que versar sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade”.

Comentários

Há 8 comentários para esta postagem
  1. Marcos Silva 26 de maio de 2011 11:17

    Ridículo!
    Vergonha!
    Horror!

  2. João da Mata 26 de maio de 2011 10:36

    e eu que ficava excitado vendo os desenhos de Nossa Vida Sexual de 1939 de Fritz Kahn. Imagine vendo um beijo na boca. Choro.

  3. João Batista 26 de maio de 2011 10:31

    Lamentável!

  4. Carmen Vasconcelos 26 de maio de 2011 7:36

    O governo está acuado e sendo covarde. E eu que já estava pensando em tempos melhores… Dá para ser otimista com um barulho desses?

  5. Enzio Andrade 25 de maio de 2011 19:37

    É nestas horas que eu sinto uma imensa vergonha de ser brasileiro,imensa vergonha de nossa pobreza em termos de cidadania,imensa vergonha do conluio e do desprezo que os políticos tem para com a sociedade.Imensa vergonha, e aí eu perco toda a esperança nesse país ou em qualquer mudança ou melhoria social.

  6. Jarbas Martins 25 de maio de 2011 19:01

    Quando Leonardo Boff, em conferência na UFRN (não lembro a data),disse que o Iluminismo não tinha passado por aqui – pensei que estivesse exagerando.

  7. Tácito Costa 25 de maio de 2011 18:31

    Recuo vergonhoso! Dilma está se saindo melhor do que a encomenda. E a desculpa esfarrapada do ministro Carvalho de “consultas mais amplas à sociedade” engana mesmo quem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo