réquiem para alma e osso

http://3.bp.blogspot.com/-0UPBhDBvqE8/T9jaNCSVy0I/AAAAAAAABSA/QlqtQbcouRs/s1600/Egon+Schiele.jpg

não basta querer-te a carne e lamber os beiços,
só uma mulher te compreende os ganidos;
só outra mulher poderia arrancar a petulância destas tuas pernas.
– lançar-me-ia nelas como quem tem meios
e lendo o mundo, lamber-te-ia as veias;
(sussurrarias para mim as mais indiscretas palavras
gritarias a dor mais profunda que te desencarna).
perdão se meu corpo não tem a ciência desta tua seiva,
e se não compreendo o caminho lento desta tua aldeia.
bebe comigo e chora
a dor latente que me assoma a teia
bebe comigo e chora
os múltiplos desejos que amenizam
em gozo

e como se não me bastasse o arrepio-corpo
despido no seio, ‘inda que belo’
querer-te-vou aos escândalos
por querer-me em carne pra roer o osso

* Em parceria com Ana Pérola Pacheco.

Filho de Apodi/RN é Jornalista, assessor de imprensa e eventos do Instituto do Cérebro da UFRN. Membro do coletivo independente Repórter de Rua, articulista no Jornal de Fato (www.defato.com) e organizador da Revista Cruviana (www.revistacruviana.blogspot.com).rinas & Urubus (www.aspirinasurubus.blogspot.com). [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 3 comments for this article
  1. Tácito Costa
    Tácito Costa 14 de Junho de 2012 11:09

    Amigo, minhas desculpas, o crédito estava lá, mas eu pensei que se tratava de erro e deletei. Vou corrigir.

  2. Anchieta Rolim 14 de Junho de 2012 16:55

    Uma bela poesia! Parabéns, grandes poetas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP