roteiro para intoxicação

tenho um coração lascado a krokodil,
e olhos metanfetaminados –
cortando avenidasveias
insone afogado no clarão sonolento das luas.

meu corpo é só putrefação e ecstasy –
pústula prostrada na catapora da noite
sobejam-me cânceres profundos

e só a cocaína me abraça

um pico de heroína para largar a metadona,
dose overcavalar de calma –
a fuga intravenosa enquanto a primeirúltima música

a desmesura carcomeu meus órgãos
agora sinto que desnasço
anticadáver, bola de fogo
abissal e insurgentemente

Comentários

Há 14 comentários para esta postagem
  1. Jóis Alberto 29 de dezembro de 2011 17:08

    Almeida Júnior, no meu comentário anterior, eu disse que pretendo passar alguns dias sem enviar textos pro “SP” e que só voltaria antes disso, caso fosse pra me defender. Parece que eu estava adivinhando. Retorno, porque você cita meu nome, o que me obriga a lhe responder, até para que a outra alternativa, o meu silêncio, não seja mal interpretado.

    Olha, posso até ter outros defeitos, mas não o da intolerância, como sabe quem me conhece como jornalista, escritor e cidadão. Melindroso, eu? Pimenta nos olhos dos outros é refresco!

    Concordo com você, quando afirma que Tácito Costa é um editor democrático. Conheço ele há mais de trinta anos, desde a nossa juventude, no final dos anos 70 e ele sempre foi um cara liberal, democrático, moderado… Discordo de você quando quer dar a impressão de que eu, Jarbas Martins e Lívio Oliveira, que você cita, pretendemos monopolizar espaço aqui no SP. No caso de Jarbas Martins, trata-se de colunista do SP e poeta, que por reconhecida e elogiada competência, é bastante generoso em opinar aqui, em especial na seção de poesia. Quanto a Lívio, poeta também de reconhecida e elogiada competência, ultimamente tem andado até meio sumido do SP, para saudades dos admiradores dele. Deve ter seus motivos. Além disso, como todos sabemos, o blog está aberto as 24 h diárias a quem tiver interesse, talento e tempo pra participar – até segunda ordem do editor e moderador!

    Quanto à minha assídua participação aqui, nas últimas semanas, quero enfatizar inicialmente que, a cada vez que envio um texto ou escrevo um comentário aqui pro SP, estou perdendo um tempo precioso. Todavia, não lamento perder esse tempo, como eventual colaborador, nem me arrependo de ter enviado textos e comentários, porque considero que o “Substantivo Plural” tem bons colaboradores e colunistas, divulga um bom noticiário cultural local e de outras partes. Todos os meus textos literários, que enviei, felizmente tiveram boa recepção por parte de alguns leitores – poucos, é verdade, porém muito bem qualificados! Os meus textos receberam também críticas por parte de outros leitores. Desses últimos, evidentemente não lamento o fato de, eventualmente, receber críticas. Deploro e repudio os insultos…

    Lamento, também, o tom provinciano, parcial e de ‘panelinhas’ em certos textos e comentários, o que, evidentemente, pode comprometer a credibilidade dos autores e, se não se tomar cuidados em relação à imparcialidade na hora da edição, principalmente pode comprometer a credibilidade do próprio blog. Não é o que desejo ao “Substantivo Plural”. Pelo contrário, desejo que o blog tenha cada vez mais qualidade, audiência, interatividade e credibilidade!

    Afinal, como jornalista profissional diplomado que sou, da mesma forma que Tácito Costa também o é, eu e ele sabemos que tão, ou mais importante, do que contar com bons colaboradores ou noticiário, é a publicação ter credibilidade, seja ela uma publicação impressa, analógica ou digital.

    Quanto a eu ‘ser mais poeta’, como você sugere, humildemente aceito a sua crítica e sugestão. Para isso, serei ainda mais leitor de poesia e de bons poetas, com prazer renovado! Nesse sentido, seria o caso de lhe perguntar: quais os bons livros de poesias e poetas você já leu, e, principalmente, quais os livros de poesia e prosa você já publicou, para aparecer aqui a nos dar o privilégio de suas sugestões e comentários?

  2. Jóis Alberto 29 de dezembro de 2011 11:35

    Tácito, acho que você está certo! Se você zelar por rigorosa imparcialidade, acredito que o “Substantivo Plural” só terá a ganhar em termos de qualidade, ou seja, de mais qualidade artística e cultural, que, regra geral, prevalece aqui. Eu, de minha parte, vou passar alguns dias, uma ou duas semanas, sem enviar comentários ou textos pro SP, não só devido a essas sempre desgastantes, e muitas vezes desleais, rivalidades literárias, mas principalmente porque preciso me dedicar mais a compromissos acadêmicos como estudante da graduação de Letras e da pós-graduação em Ciências Sociais, na UFRN. Nesse período, espero não ter que voltar a me defender de nenhum insulto, maledicência, etc, mas como você estará ‘mais rigoroso na liberação de posts ou comentários que levem pra esse campo’, ficarei mais tranquilo e despreocupado.

    Boa sorte pro “Substantivo Plural” e Feliz 2012 pra você e meus amigos e amigas aqui no SP!

    Agradeço a você pela divulgação dos meus textos literários, anteriormente, e aos amigos/as, os elogios, e mesmo críticas honestas e positivas que, eventualmente, foram feitos aos meus textos.

  3. Eugênio 29 de dezembro de 2011 10:46

    Tácito, meu filho, mande esse povo abrir um “blog” pra chamar de seu. rsrsrs

  4. Almeida Júnior 29 de dezembro de 2011 10:31

    Poeta Jóis não seja intolerante e peço também em nome de outros leitores que você não seja tão melindroso e respeite o editor que tem sido bastante democrático. Esse espaço aqui não é só seu, nem só de Jarbas Martins, nem só de Lívio. Respeite e seja mais tolerante e seja mais poeta.

  5. Jóis Alberto 29 de dezembro de 2011 0:28

    Ok, Tácito! Então, me permita ao menos lhe perguntar: o que interessa ao ‘Substantivo Plural’, ao divulgar comentários com ‘moderação’? Interessa a crítica literária? Caso a sua resposta seja afirmativa, concordo plenamente com a sua assertiva. No entanto, todos sabemos que, pelo tom coloquial que prevalece nos comentários, pela agilidade com que a opinião é expressada, pelas limitações do espaço, dentre outras limitações, não é possível a cada um dos leitores/internautas tecer críticas literárias ou de artes. É possível, contudo, a leitor/internauta e ao editor, evitar críticas em nível pessoal ou insultos. O problema é que você não evitou o insulto que Jota Mombaça fez a poema meu, anteriormente.

    Justificando coerência com o comportamento dele, Mombaça lhe solicitou que me permitisse divulgar aqui resposta com o mesmo teor. Você, agora, avisa publicamente que não divulgará minha resposta e que igualmente discorda da sugestão dele. Compreendo, Tácito, que, dessa forma, você procure evitar desgastante polêmica, chamando-a de ‘rixa’ minha com Mombaça.

    Não é minha intenção, e nunca foi, ter ‘rixa’ com ninguém aqui. Minha intenção, ao enviar textos literários, comentários e artigos de minha autoria para o “Substantivo Plural”, era – ou melhor, ainda é – de participar das atividades artísticas e culturais deste blog, com o mesmo profissionalismo e ética que sempre pautaram meu trabalho como jornalista e escritor.

    Desse modo, se ainda houver interesse de sua parte, em editar no “Substantivo Plural” textos literários minha autoria, me disponho a continuar colaborando, esquecendo essa polêmica com Mombaça, com quem não pretendo manter rixa, tampouco amizade, porque eu e ele temos estilos de vida e literários opostos, porém, de minha parte, tolerando essas diferenças.

    Se não houver mais interesse de sua parte em editar no SP textos literários meus, respeitarei a sua decisão, em especial se você, mais uma vez, não vetar mais este texto meu.

    • Tácito Costa 29 de dezembro de 2011 7:59

      Jóis, tô de saco cheio das brigas, insultos e agressões e desrespeito que ultimamente tem rolado por aqui. Em decorrência disso, estou mais rigoroso na liberação dos posts ou comentários que levem pra esse campo. Quem não gostar está livre pra tomar outro rumo.

  6. Tácito Costa 28 de dezembro de 2011 22:51

    Mombaça, não vou atendê-lo. A resposta que dei a Jóis vale pra você também,

  7. Tácito Costa 28 de dezembro de 2011 22:45

    Jóis, não interessa ao SP essa rixa entre você e o Mombaça. Por favor, leve-a para outro espaço virtual.

  8. Jota Mombaça 28 de dezembro de 2011 19:01

    Tácito, não pretendo desafiar sua autoridade de veto, tampouco questioná-la, mas acho condizente com minhas posturas que eu, aproveitando-me da relativa autonomia que possuo em relação a este post, registre a reação de Jois Alberto a este poema: “Uma overdose de poemerda”

  9. Jarbas Martins 28 de dezembro de 2011 18:42

    E aí, horácio oliveira ?

  10. Alice N. 28 de dezembro de 2011 18:20

    “Sobejam-me cânceres profundos”…
    Caro Jota, sei que vc é avesso aos elogios fáceis e rasteiros, mas esses seus versos são PHODA!!!
    Espero revê-lo em breve para novas cervas e outras tantas divagações. Grande abraço, poeta inexágono!

  11. horácio oliveira 28 de dezembro de 2011 17:39

    E aí, Jarbas?

  12. João da Mata 28 de dezembro de 2011 14:46

    Meu Krokodil Jota, é a música,

    Por isso em canto assim “Mi Cocodrilo Verde”

    Mi Cocodrilo Verde

    Mi cocodrilo verde
    Carcajada mulata
    Canción de serenata
    Embrujo de maraca y bongó

    Mi cocodrilo verde
    En tu palmar se perde
    La clásica leyenda
    De yemanyá y Changó

    Mi cocodrilo vede
    Son tus mares de espuma
    Tu majestuosa luna
    Y tu sol tropical

    Mi cocodrilo verde
    Terroncito de azúcar
    Las gaviotas anidan
    En tu litoral

    Canta caetano

  13. Jarbas Martins 28 de dezembro de 2011 14:31

    Esse outro Jota é demais !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo