Rumo

Por Igor Barboà

Navegar é impreciso!
Pelo mar,

navegador
Afunde
novas terras.
Que anteposta,
tua vinda
naufragar
é mais preciso ainda.

Comments

There are 3 comments for this article
  1. Nina Rizzi 4 de Julho de 2012 14:49

    Igor, seu primeiro verso sugere algo que sempre interpretei do Pessoa e seu já adágio, “Navegar é preciso”: precisão não no sentido de necessidade, mas de ‘exato’, ‘justo’.

    No mais, morrer é preciso, afundar não.
    Abs.

  2. Jarbas Martins 4 de Julho de 2012 16:38

    Igor sem rigor Barboà./ Poeta e fake mais gracioso/ não há !!!/

  3. feique 4 de Julho de 2012 19:10

    Por que tudo que é poesia surpresa é fake para o poeta vigilante da forma gasta? Quem quer dos versos o inusitado não aceita a chegada ao escuro da poesia caverna! Só pode aventurar-se quem lhe pede permissão? Poeta, baste-se a si e deixe o resto bastar-se a quem quiser o custo da própria emoção. É pedir muito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP