Safo – Σαπφώ “A Vênus de Lesbos”

A todas as mulheres do mundo minha devoção e alegria nesse dia que só pode ser celebrado em forma de oração e poesia. Meu muito obrigado a todas voces que fazem a vida vida. Ofereço:

Safo – Σαπφώ “A Vênus de Lesbos”

Ela foi uma poeta grega que viveu na cidade lésbia de Mitilene, no século VII a. C.
De sua poesia pouco restou. Uma de suas poucas poesias (completas) que chegou até nós foi aquela dedicada à imortal Afrodite, filha de Zeus. Essa poesia faz parte da minha antologia pessoal e a tenho recitado nos últimos 40 anos. Recebeu inúmeras traduções no Brasil e no mundo. Entre nós a verteu para o português o nosso colega ítalo-natalense Franco Maria Jasiello. Antes que lhes ofereça a minha versão deixo vocês com essa deusa no trono incrustado de ouro, na tradução do grego por Giuliana Ragusa.

Hino de Safo a Afrodite

De flóreo manto furta-cor, ó imortal Afrodite,
filha de Zeus, tecelã de ardis, suplico-te:
não me domes com angústias e náuseas,
veneranda, o coração,
mas para cá vem, se já outrora –
a minha voz ouvindo de longe – me
atendeste, e de teu pai deixando a casa
áurea a carruagem
atrelando vieste. E belos te conduziram
velozes pardais em torno da terra negra –
rápidas asas turbilhoando céu abaixo e
pelo meio do éter.
De pronto chegaram. E tu, ó venturosa,
sorrindo em tua imortal face,
indagaste por que de novo sofro e por que
de novo te invoco,
e o que mais quero que me aconteça em meu
desvairado coração: “Quem de novo devo persuadir
ao teu amor? Quem, ó
Safo, te maltrata?
Pois se ela foge, logo perseguirá;
e se presentes não aceita, em troca os dará;
e se não ama, logo amará,
mesmo que não queira.”
Vem até mim também agora, e liberta-me dos
duros pesares, e tudo o que cumprir meu
coração deseja, cumpre; e tu mesma,
sê minha aliada de lutas.

(tradução do grego por Giuliana Ragusa)
Alexandra

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

ao topo