Salinger, Bob Dylan, Truffaut

Caros amigos:

Li “O apanhador…” há mais de 40 anos. Gostei mas sem entusiasmo. O impacto de “Les quatre cents coups” (Os incompreendidos – foto), filme de Truffaut, foi muito maior para mim naquela época. E a música pop de bom nível, como Bob Dylan, cumpriu mais o programa de rebeldia juvenil, em meu entendimento, que aquele simpático romance.
Claro que lamentei a morte de Salinger. Mas não sinto vontade de reler seu livro, ao contrário das obras de Faulkner e Tennesse Williams, dentre outros norte-americanos. Para não falar do eterno Melville e sua baleia metafísica. Nem do sutil Henry James, páreo para nosso Machado.
Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo