SANTOS: arte popular prodigiosa

“Santos: arte popular prodigiosa” Museu Câmara Cascudo
Vernissage – Quarta Feira 29 de Agosto de 2011 – 20h

Tribuna do Norte

A ARTE PRODIGIOSA DE SANTOS 

A arte de Seu Santos é realmente “prodigiosa”, como diz o título da primeira exposição individual que o escultor paraibano abre hoje no MCC. A mostra faz parte do projeto “Vernáculo – A criação popular no RN”, conduzido pelo professor Everardo Ramos, curador e, pode-se dizer, “descobridor” de Seu Santos para as galerias. “Quando vi seus trabalhos pela primeira vez, ano passado, soube que estava diante de um artista especial”, afirma. O acervo reúne cerca de 70 peças – todas cedidas por colecionadores da obra de Santos. “Eles foram super receptivos. Compreenderam que o Santos não faz nada pra guardar, ele vende tudo”, diz.

As esculturas de Seu Santos reproduzem a cultura rural de seu criador. Ele produz detalhistas imagens, não só de pessoas, mas também de cenários e ambientes que as cercam. As imagens mostram santos, animais, camponeses, personagens do sertão. Santos também faz peças de mobiliário, como bancos e cadeiras – tudo com seu toque particular e observador. A exposição ficará aberta até o dia 28 de setembro.

Caros Colegas:

Sobre a exposição em homenagem a Seu Santos escrevi o seguinte texto que compartilho com os leitores e amantes da arte popular. A exposição que começa hoje ( 20h) está muito bonita e é uma justa homenagem a um dos maiores artistas do nosso estado. Lembro também que sou colecionador das obras de Seus Santos e o descobri encantado há muito tempo. Essa exposição não e de obras sacras, muito embora o artista seja um grande santeiro. A maior parte das obras expostas são partes de minha coleção santiana.

Um senhor SANTOS – o maior artista popular vivo do RN

João da Mata Costa – Curador Associado e Prof. da UFRN

Tem gente que olha para essas peças e veem artesanato e eu vejo o que pode
o poder criador de um genial artista

Todas as pessoas trazem a marca de sua gênese. São para o que nascem.
Francisco Evaristo Santos – Seu Santos como é conhecido -, não nasceu no
Rio Grande do Norte, mas é o maior artesão potiguar. Nascido na Paraíba
(Serraria) ficou órfão logo cedo e foi adotado por um padrasto. Na
infância da vida veio residir num sítio na cidade de Caicó – RN.
Trabalhou duro em olaria e logo cedo fazia seus brinquedos. Sua primeira
peça foi uma vespa de barro que quebrou. Decepcionado passou a fazer suas
peças em madeira. Seu Santos transforma a madeira bruta ou morta em
grandes obras de arte. Dizer artesão é pouco. Dizer que ele é um dos
artesões do oitavo dia ainda pouco o singulariza. Seu Santos é um dos
maiores artistas populares do Brasil. O objetivo dessa exposição é fazer justiça e
mostrar esse grande artista para o mundo. Com sessenta e sete anos ele
mora atualmente numa casinha humilde no bairro das Quintas. Um homem
simples por traz de um príncipe na elegância com que veste a vida de
beleza e arte. Seus instrumentos de trabalho, a sovela, uma faquinha de
ponta, são construídos por ele mesmo. A madeira nobre de que mais gosta de
artesanar é a imburana. Dificilmente ele faz uma peça igual como costumam
fazer outros artesões. Trabalha sossegado sem pressa e com a imaginação
que vem de não sabe onde. Muito religioso gosta de moldar seus santos
devotos e outros.
Muito ligado à terra e suas origens, seu santos gosta de trabalhar com
motivos rurais e do sertão. São mulheres com trouxas de roupas carregando
uma lata d´agua. Um pescador, um trabalhador rural junto da cacimba. Os
cactos do sertão, o forno de lenha, a cobra comendo um bichinho, tudo em
madeira. São figuras esguias e de grande elegância. Mostrando um grande
domínio do espaço e da geometria.
A religiosidade nunca é esquecida por esse grande artista que já esculpiu
centenas de peças devocionais, móveis rústicos e outras peças relacionadas
com a vida dura do homem do cinzento. Essa exposição pioneira é uma justa
e oportuna homenagem a um dos maiores artistas do Rio Grande do Norte. Uma
mostra do poder criador de um artista excepcional e único. Salve Seu Santos e que dias melhores o acompanhe.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo