Scarface, o filme

“Polícia, política, corrupção, drogas, álcool, mulheres e gangsteres. Não necessariamente misturados nessa ordem, os componentes causam – certamemente – explosões previsíveis. Os ingredientes, um por um, já são motivadores de paixões e de problemas que podem ser irreversíveis, detonando outras realidades mais trágicas e que beiram o absurdo.

Nas duas versões do filme “Scarface”, uma de 1932, em preto e branco, dirigida por Howard Hawkes, outra, modernizada e mais sofisticada, de 1983, dirigida por Brian de Palma, esse “combo” explosivo se verifica”. Lívio Oliveira

aqui

ao topo