se pudesse

ah se pudesse ser sendo vero de verdade e gaitada de sorriso e pesadelo de um sonho eu pudesse ter um caçuá cheinho d’agua gotejando pelas estradas florindo cada passo cada margem abrindo florada aos sertões ah se pudesse ser sendo assim uma ação lavrada com escritura e tudo dois galões d’agua e despejasse nos riachos secos e eles se transformassem em mar de matuto em fartura de sertanejo chamariam até de itans de gargalheiras de piranhas assu ah se pudesse ser enquanto não sendo vou enchendo meu caderno e borrando de lágrimas os açudes da minha imaginação

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo