Sebald e filmes

Cena de “Submarino”, do diretor Thomas Vinterberg

TC

“Em cada nova forma já reside a sombra da destruição. É que a história de cada indivíduo, de cada sociedade e do mundo inteiro não descreve um arco que se expande cada vez mais e ganha em beleza, mas uma órbita que, uma vez atingido o meridiano, declina ruma às trevas.” (Pág. 32)

Trecho do romance “Os Anéis de Saturno”, de W. G. Sebald, que comprei no Livreiro dos Araças, via Estante Virtual, mais “Vertigem”, do mesmo autor. Os dois bem novinhos. Chegaram terça-feira. Acho que sou o primeiro que os abro. Cheguei a Sebald depois dos repetidos elogios que li nos últimos tempos, de leitores e escritores.

Junto com os livros veio a pedrinha branca praiana, embalada para presente, remetida pelo sebista Beto – transcrevi a crônica dele outro dia falando sobre esse brinde remetido aos clientes do Livreiro dos Araças.

Estou na página 63 de “Os Anéis de Saturno”, quando acabar eu falo alguma coisa sobre o livro.

A leitura de livros anda meio devagar nesse início de ano porque estou assistindo muitos filmes, compensando os dois últimos meses do ano passado, quando fiquei meio abusado e sem ir muito à 7 Arte. Tenho períodos assim, passo um mês, dois, longe dos filmes e depois retorno com tudo.

Dos que assisti nesse início de ano recomendo, fortemente, quatro: “Submarino”, “Um conto chinês”, “Homens e Deuses” e “As praias de Agnès”, todos disponíveis na 7 Arte.

“Em um mundo melhor” eu achei, inicialmente, que gostei- rs. Mas depois li uma crítica que me fez mudar de opinião. Às vezes me acontecem dessas coisas, formo uma opinião sobre um livro ou filme e depois que leio críticas sobre os mesmos mudo de opinião. Mas acho que vocês devem conferir, esse filme ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro no ano passado, então, merece uma certa consideração.

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =

ao topo