Semântica da Bobagem

Depois das expressões infames “a nível de ” e “enquanto” deixando de ser advérbio de tempo pra virar pronome indefinido, agora surge, na televisão e blogs essa história de “risco de morte”. A morte não sofre riscos. Quem se arrisca é a vida. O risco é de vida. A morte é resultado natural e inevitável. Nascer é um bambo. Morrer é uma certeza. Só questão de tempo. Outra expressão cretina é “morreram pelo menos”…Só falta torcer pra morrerem “pelo mais”…

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

ao topo