Sépia

Sépia

Estou com cara de fotografia em sépia;
Com saudade do verde…
Da minha casa…
Do vento, da paz.
“Estou em sépia”.
Quero ser beijada pelo vento,
Tocada pelo Sol da tarde.
Quero sentir o cheiro verde do mar,
Deixar que o entardecer me envolva de prazer…
Estou como uma folha,
Como uma folha seca,
Caída e esquecida no bosque da minha vida,
Esperando a Primavera chegar
Com seus florais de mil cores…
E minhas tardes… Perfumar.
Estou em sépia e sou o outono antecipado;
O silêncio morno do Deserto
E o meu olhar tem o açoite do tempo;
O murmúrio das ondas
E um poema largado.

Comments

There are 2 comments for this article
  1. Jarbas Martins 22 de Setembro de 2010 9:39

    Cara Ednar, gostei do teu poema Sépia.Algumas pedras-de-toque ( do inglês touchstone, expressão cara ao poeta e crítico Mário Faustino) me atingiram frontalmente.Elas estão em versos que, pela sua forte imagética, e em seu peculiar ritmo, se destacam dos demais.Não resisti aos encantos de tua poesia.Num gesto de atrevimento (desculpe-me se te feri),
    dei ao teu poema outro formato.Um formato 3 X 4:Mas issso é só a manifestação do meu gosto, coisa que talvez não tenha nenhuma relevância.E uma prova do quanto levo em conta a tua poesia.Veja como ficou a minha visão fragmentada do teu poema:

    SÉPIA

    Estou com cara de fotografia em sépia
    Estou em sépia, e sou o outono antecipado
    O silêncio morno do Deserto
    E o meu olhar tem o açoite do tempo

    Beijos. Do seu leitor e grande admirador.

  2. Ednar Andrade 22 de Setembro de 2010 14:44

    Jarbas querido, não feriu, abraçou, viu? Puxa, fiquei contente e o teu 3×4 também ficou lindo, amei. Bom saber que o que tiro da alma, acaricia a alma de outras pessoas, pois quando escrevo coloco sentimentos, verdade. Acredito que não tenho tendência para ficção. Então, minha alma estava verdadeiramente em sépia, naquele momento e ainda está, razão pela qual resolvi postar no substantivo ontem. Mas, feliz fiquei também que você me disse que é meu leitor, que me admira. Puxa, orgulhosa, viu? Receba de volta o abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP