SEREIAS

ouvir a voz

medo

nave no cós

cedo

adivinhar

tudo

pra caminhar

mudo

de vez saber

pouco

e descaber

louco

te tatear

ego

fogo atear

cego

dar-nos prazer

dosar

nos desfazer

gozar

dizer ouvir

nome

o ir e vir

some

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo