Setembro da Agonia

Cara Professora Isaura,

Com a devida vênia, lamento ter lido o desabafo abaixo, de nossa colega, amiga e, antes de tudo, servidora da FJA, Márcia Moreno. Relutei em escrever, mas me rendi. Afinal, somos os prejudicados.

É uma vergonha, professora Isaura! Márcia acreditou, como eu. Batalhou na campanha política e votou em Rosalba, na esperança de ter melhores dias e um salário mais digno para se aposentar. E o que vemos?

Um governo pífio, sem realizações, sem metas, sem um plano de trabalho, gastando com propaganda mentirosa na mídia, investindo desenfreado em cultura sem atingir seu publico alvo, não cumprindo os acordos com a classe de servidores. Gastando, enfim, sem necessidade.

É isso o que vemos diariamente nos órgãos de imprensa. E calçado sempre na mentira de uma tal lei de responsabilidade fiscal, etc e tal, e que até hoje “nem sobe e nem desce”. Descumpre acordos, falta com a palavra e a arrecadação só aumenta mes a mes e, para a população, esses $$$ não aparece para pagar os precatórios e planos de cargos e salários.

Esse governo, professora Isaura, já é o pior governo nos últimos trinta anos e ainda não tem um ano de vida.

Fico pasmo com sua indiferença frente aos servidores, pois sei que voce sempre procurou a melhoria com quem trabalha, mas hoje, envolvida num governo baseado na mentira e sem palavra, não toma partido dos que lhes cercam.

É por isso e por outras coisas que não tenho o menor interesse em voltar a FJA.

Já devia estar aposentado há mais de 3 anos e meio. Com uma pequena melhoria salarial que voce quase me faz perdê-la, quando solicitou meu redirecionamento para a FAPERN. À época precisei falar com pessoas influentes na politica, familiares, Sec da Administração e, com a aquisição do ex-diretor da FJA, Crispiniano Neto, retornei a FJA. Agradeço a ele, também, pela valiosa ajuda quando aceitou o meu retorno.

E o que vemos hoje em dia? Sec da Cultura sendo beneficiada, contratando servidores sem necessidade, propaganda diariamente nas TVs, jornais e rádios, da única secretaria, a da Cultura. Nem sei se ainda continua que e até o momento, não disse a que veio. São coisas de quem tem cunhada como governadora e irmão é quem manda no governo.

Cara Professora Isaura: vale lembrar que estamos às vésperas de uma eleição e isso vale muito antes de marcar o nosso voto. Pense nisso! Governo dura apenas 4 anos e voce já esteve 08 anos ou mais à frente de outros governos.

Disse-lhe, repito e confirmo: a pior coisa que fiz nesses últimos anos foi dar meu voto a um feudo: o feudo Rosado. Não errarei na segunda vez.

Muito obrigado pela atenção e aproveito a oportunidade para enviar-lhe votos de um feliz aniversário.

Abs,

Karl Mesquita Leite,
Tecnico de Nivel Superior
Servidor da FJA desde 02 de fevereiro de 1980

**********

CARTA DESABAFO DE MARCIA MORENO:

“SETEMBRO DA AGONIA”

Mais uma vez o governo nos tira o sonho de dias tranqüilos, já que a maioria de nós tem tempo suficiente para se aposentar, esperando apenas por um salário mais justo, por tantos anos de dedicação e carinho a essa fundação tão apedrejada, mas amada por nós funcionários de carreira, que sofremos a cada mudança, sempre almejando dias melhores, respeito, condições dignas de trabalho e principalmente uma aposentadoria justa.

Eu me iludi, confesso que acreditei nesse governo, mas, quando vi os primeiros atos dessa senhora com as pessoas do MEIOS a ficha caiu. Meu Deus, quanta insensibilidade, será que eles não têm família? Parece que não.

O pior estava por vir, e era exatamente aqui na nossa Fundação, que a recebeu com tanto carinho dando nó em pingo d’água para dar visibilidade ao Governo que estava começando a ser mal falado e vaiado em eventos públicos. Depois de tantas rodadas de negociações eles dividiram o restante do nosso Plano de Cargos e Salários que é 70% em quatro parcelas iguais que seriam implantadas a partir de setembro de 2011, porém para nossa surpresa e indignação foi tudo mentira. E agora colegas? O que fazer?… Greve?… De fome?

Ela não se comove com nada. Peço a todos que não se desesperem, mantenham o bom senso e a vontade de lutar para tirar o mais breve possível essas pessoas do poder, infelizmente perdemos a batalha mas a guerra nunca, a nossa arma maior é o voto.

Quero pedir que cada funcionário agredido, multiplique seu voto muitas vezes, vamos fazer a campanha “Fora Rosa de Hiroshima”.

Márcia Moreno
Servidora da Fundação José Augusto

Comentários

Há 9 comentários para esta postagem
  1. José Limeira 1 de outubro de 2011 9:20

    O VOTO É A ARMA!
    NÃO VOTAR EM NINGUEM QUE APARECER AO LADO DE ROSALBA EM 2012 JÁ É UM BOM COMEÇO.

  2. Alex de Souza 30 de setembro de 2011 19:46

    enquanto isso, devem estar lavando os pés com uísque lá em Mossoró. E viva a libertação dos escravos.

  3. Stênio Moraes de Souza 30 de setembro de 2011 19:45

    O que esperar de um governo que não tem palavra?
    O primeiro ministro, todo poderoso secretario chefe da casa civil, Paulo de Tarso Fernandes, afirma uma coisa, mes e pouco depois, desdiz, só nos resta gritar tão forte como vinha sendo(pararam um pouco, não devia) o fora Micarla

    FORA ROSALBA!!!

  4. Karl Leite 30 de setembro de 2011 19:38

    Caro Amigo Tacito,

    Muito obrigado pela atenção em publicar as cartas “desabafos”…!!! Será que esse Governo ainda não sentiu que a opinião publica não esta satisfeitas com seus atos (???)… ate quando?? Bom, nossa arma é o voto. Vamos lá, então!

  5. Maria Clara 30 de setembro de 2011 16:13

    Pois bem, estamos colhendo frutos daquilo que plantamos na última eleição de governo, acreditando numa mudança que ainda não chegou, e sinceramente, ” pelo andar da carruagem”, creio que não vai chegar, porém como já falado muitas vezes, a batalha está perdida mas a guerra não, ainda possuímos a arma mais forte, O VOTO, continuemos a protestar e GRITAR: FORA ROSALBA!

    Não consigo crer como uma pessoa pode ser tão insensível a esse ponto, não só ela, assim como toda a “laia” de secretários que fazem parte de seu governo; não esqueço nunca, na época em que muitos órgãos do rn se encontravam em greve, o repórter da tv cabugi, ao perguntar ao secretário PAULO DE TARSO(que nunca sabe nada) o que eles iriam fazer para cessar tais greves, ele exclamou: não estou sabendo disso, esses órgão não estão em greve, em contrapartida o repórter respondeu: desculpe, mas o senhor não sai as ruas? não assiste tv?

    Creio que não é isso que merecemos para o nosso estado, queremos pessoas ativas, que atenda as necessidades da população e cumpa ao menos com o que promete!

  6. Izaías Lopes 30 de setembro de 2011 14:52

    Além do que essa secretaria parrece ser apenas para Natal e Mossoró, nos municipios num chega nada. Aqui em Caicó dizem que tem uma Casa de Cultura, vão lá para conversar com o povo!
    E ainda falavam mal do PT, nós éramos felizes com Crispiniano e não sabiamos.

  7. Maria Hildete Araújo 30 de setembro de 2011 14:24

    Márcia Moreno e Karl estão cobertos de razão, esse governo é uma vergonha, principalmente a secretaria da cultura, na qual colocaram a irmã do poderoso para fazer mal a nossa cultura, pois bem ela já mostrou que não sabe fazer, basta ver pela passagem anterior na FJA e na FAPERN, sem contar na SEC DE EDUCAÇÃO onde sobrou muita história mal contada.

  8. José Limeira 30 de setembro de 2011 14:10

    A mais cristalina verdade, a única secretaria que está todos os dias nas páginas dos jornais é a da Professora Isaura, a qual ainda por cima em toda reunião só se refere ao mandato da cunhada como de 8 anos.
    Vamos para o futuro!
    Sou prejudicado indiretamente, pois meu pai é servidor público e acaba de ver sua conta bancária sem saldo, mesmo que o governo tenha prometido pagar hoje até o meio dia. Resultado: contas sem pagar, cheques sem fundos e a vergonha de encarar os familiares e não ter outra opção a não ser calar.
    Olhos os meus irmãos menores e vejo a decepção por nem poderem ir a um cinema, nem lanchar na rua, ou fazer qualquer coisa nesse feriado, felizmente ainda temos comida, imagino os que nem isso tem. Confesso que sinto nojo quando vejo as caras risonhas e luzidias lá na festa de Mossoró. É, riam, nós não podemos rir agora mas o futuro dirá se esse riso de vocês vai ddurar.

  9. Denise 30 de setembro de 2011 11:39

    Minhas solidariedades a todos vocês que fazem a Fundação José Augusto, inclusive a Ceiça, minha amiga. Estamos agora sofrendo o preço de não sabermos escolher um executivo honesto e qualificado (isto para não falar de outras más escolhas), mas enquanto houver tempo e vida há oportunidade para aprender.E contem comigo para a campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo