Silenciar

instante

O que dizer “quando”?
Sentir o que no “instante”?
Nada a fazer, por que…
Nada preenche, “lacunas”
De espaços tão bruscos.

Silenciar precise, talvez, a boca.
Pra sentir o tamanho da dor
“E gemer apenas, sem mais”!
Mesmo sem querer,
Ou por não poder até…

Até que se morra,
Até que tudo derrame.
O que dizer “quando”?
Sentir o que no “instante”?
Silenciar precise, talvez, a boca…

(Ednar Andrade).
(19.04.1983).

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Ednar Andrade 4 de setembro de 2011 14:34

    Lisonjeada, poeta. Não há nada que eu diga, que não seja sentimento. E se gostas, reafirmo: acho bom. Obrigada. Até breve, no encontro do SP que será na Aliança Francesa.

  2. Anchieta Rolim 4 de setembro de 2011 10:04

    Grande Ednar, seus belos poemas clareiam minhas idéias. Massa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo