Sobre as propostas para a cultura

Museu do Louvre, França

De excelente qualidade esse material produzido pelo Prosa e Verso de O Globo (post mais abaixo) sobre as propostas de artistas, produtores e especialistas para a nova gestão do Ministério da Cultura. Penso que algumas propostas valem também para secretarias de cultura e fundações (estaduais e municipais).

Não é preciso inventar a roda, muitas das propostas e sugestões apresentadas já são conhecidas e algumas foram testadas com êxito em várias partes do Brasil.

Muito interessante – e didáticas – as comparações do que ocorre na área na França, Inglaterra e Estados Unidos. Inclino-me pelo modelo francês.

De tudo que li, o que achei mais importante foram as sugestões de buscar uma convergência da cultura com a educação, fazer com que esses dois ministérios pensem políticas comuns. Essa é uma discussão recorrente, tanto em nível federal quanto estadual e municipal. Infelizmente, não saiu do canto em nenhuma dessas três esferas. (TC)

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. João da Mata 8 de janeiro de 2011 19:01

    Tácito, concordo com a sua opinião no consórcio Cultura e Educação.

    Um outro aspecto que gostaria de comentar é o que trata dos projetos.
    Ao final do seu governo, Lula dizia para que as prefeituras e estados apresentassem projetos. Descendo mais – hoje- existem especialistas em fazer projetos para angariar fundos. Ganha quem aprenetar o melhor, não necessariamente a melhor proposta.Não sei se me entendes!

    O que tem de picaretagem via projetos de Cultura e outros não está no GIBI.
    Tanto livro feito com projetos carta- Branca .

    O que entra para uma fundação e edita todos os seus livros. org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo