Sobre um amigo muito querido que chega à Academia de Letras

Por Tácito Costa

Hoje o jornalista, crítico literário, organizador de importantes coletâneas, escritor, tradutor, leitor voraz e refinado, homem de bem, Nelson Patriota será empossado na Academia Norte-rio-grandense de Letras. Ocupará a cadeira  de nº 8, que foi do seu tio Nilson.  Merecidamente. O que é raro naquela instituição, que tem abrigado nos últimos anos mais nulidades literárias do que verdadeiros homens de letras.

Considero Nelson um dos mais completos intelectuais do estado. Aplaudo de pé a chegada dele à Academia. É meu amigo há exatos 35 anos. Conheço-o de perto. Uma amizade que nasceu em 1980, quando ingressamos no curso de Comunicação da UFRN e que jamais teve baixos. Só altos.

Tive a felicidade de trabalhar com ele na década de 1990 na Fundação José Augusto. Ele como editor do jornal O Galo e eu como assessor de imprensa. Foi o período também em que o poeta Luís Carlos Guimarães coordenou o núcleo de literatura da FJA. Um período riquíssimo na minha formação. Valeu por um mestrado.

Literariamente, Nelson foi a pessoa que mais me influenciou até hoje. Não conto as aulas que gazeamos no curso de Comunicação para ficar dialogando sobre literatura, cinema, teatro e até jornalismo. Apresentou-me Borges. Só por isso já lhe devo muito.

Quando em 2007 criei o Substantivo Plural convoquei-o para colunista. Junto com outros dois grandes amigos, Carlão de Souza e Carmen Vasconcelos foi fundamental naqueles primeiros anos do blog.

Em 2009 honrou-me com o convite para fazer a orelha da sua coletânea de contos “Colóquio com um leitor kafkiano”, o seu primeiro livro de ficção.

Mais tarde estarei na cerimônia para dar-lhe parabéns, um abraço muito forte e desejar-lhe boa sorte. É um cara que merece demais e sua chegada à Academia resgata os melhores momentos daquela casa.

Comments

There are 4 comments for this article
  1. Andreia Braz 15 de Abril de 2016 16:44

    Que bela, homenagem, Tácito! Muito bonito e tocante o seu texto, querido! Um testemunho de uma amizade sincera, mas também o reconhecimento ao escritor que hoje, merecidamente, toma posse na Academia de Letras. Muito comoventes e sinceras as suas palavras. Acho que, além do afeto impregnado nelas, suas palavras trazem um breve resumo da importância de Nelson como escritor. Como vc mesmo disse, Nelson é “um dos intelectuais mais completos do estado!. Deve ser maravilhoso conservar uma amizade assim, do tempo de faculdade…
    Um abraço para os dois.

  2. Anchieta Rolim 15 de Abril de 2016 20:55

    Gostei do texto, Capitão! Eu não conheço Nelson Patriota pessoalmente. Mas, referências de suas qualidades como homem e escritor são muitas. Acho que quem ganha é a Academia. Parabéns!

  3. David Leite 16 de Abril de 2016 16:47

    Justo e merecido texto…
    Parabéns a ambos!

  4. thiago gonzaga 18 de Abril de 2016 12:10

    Tacíto, homenagem merecida.
    Conheço Nelson Patriota faz apenas uns cinco anos, tempo suficiente para torna-me um grande admirador dele, tanto como escritor, tanto como pessoa.
    A entrada de Nelson só traz benefícios para a ANRL, sobretudo num período que estão entrando literatos do porte de Diva Cunha e Jarbas Martins; que se juntam a outros literatos como; Manoel Onofre Jr., Sanderson Negreiros, Dorian Gray Caldas, Paulo de Tarso Correia de Melo e Vicente Serejo.
    Torço para que nos próximos anos entrem nomes como os de Lívio Oliveira, Marize Castro, Humberto Hermenegildo de Araújo, David Leite… dentre outros bons nomes da nova geração literária e intelectual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP