Substantivo Plural

A democracia teve início na Grécia antiga, com as discussões políticas e filosóficas em praças públicas. Espaço aberto ao cidadão, ao estadista, sem distinção ou hierarquia. Por estas plagas e outras do mundo moderno o que se vê é o discurso vertical onde deveria prevalecer a independência. Veículos que funcionam como porta-vozes para políticos ou empresários falarem com a sociedade. Felizmente temos alguns espaços que prezam pela democracia e pluralidade de vozes. Um deles é o blog Substantivo Plural, capitaneado pelo jornalista Tácito Costa.

Talvez seja a liberdade ou “pluralidade” de vozes a diferença do Substantivo “Plural” de outros blogs ou veículos de mídia. E os gregos se orgulhavam de ser livres. Isso os distinguia de seus vizinhos de outras línguas e culturas. Ser grego ou helênico não era uma distinção racial, mas lingüística e cultural. Isso pelo simples fato de praticarem a liberdade. As discussões no Substantivo são abertas a quem deseja opinar: intelectuais, leigos, marxistas, conservadores e progressistas. Geralmente são em torno de literatura e jornalismo cultural.

Alguns debates se tornaram verdadeiros fóruns como as discussões acerca da obra de Joyce – Ulisses –, regionalismo e o último, a respeito da ética no jornalismo, do qual resultou na promoção de dois programas para aprofundar o assunto no Grandes Temas, da TV Univeristária (um programa de debate promovido em parceria entre a TV-U e este Diário de Natal) e ensejou um projeto futuro de criação de um Observatório da Imprensa local – benefícios concretos à “populaça”, como escreveu o poeta Castro Alves, no poema “A praça é do povo”.

O blog tem servido ainda de vitrine para escritores. Em um espaço chamado Estante, figuram obras literárias publicadas ou inéditas de nomes da nossa literatura, como Pablo Capistrano, Carlos de Souza e Rodrigo Levino, ou outros menos conhecidos. O espaço é aberto. E quando escrevo “vitrine” é porque o blog recebe cerca de mil visitas diárias. E já conta com colaboradores de aqui e alhures, como o escritor pernambucano Fernando Monteiro, o escritor paulista Marcos Silva e o jornalista brasiliense Gustavo de Castro.

Desde o início, há um ano e quatro meses, o blog mantém alguns colunistas fixos: Carlão, Carmen Vasconcelos e Nelson Patriota. E também sessões fixas voltadas para prosa, poesia e entrevistas. O advogado e escritor Lívio Oliveira tem sido assíduo colaborador nesta última sessão e já presenteou os visitantes do blog com entrevistas fabulosas, inclusive com nomes internacionais como Ondjaki. Já são 40 ao todo. Além de publicar o que de melhor há na imprensa local em termos de jornalismo cultural.

A última novidade do Substantivo é a idealização de um encontro literário para dezembro. De forma democrática, aberta, os nomes e temas para o evento estão surgindo. A idéia foi de Lívio Oliveira, que já conseguiu o espaço da Aliança Francesa. Tudo fruto de idealismo e alimentado pela ânsia da discussão livre, democrática. Que haja os embates mais ríspidos. Faz parte da natureza humana. A inveja, a hipocrisia é nata do ser humano. Sou convicto disso. Então, que este mal dispute com o bem sem intervenções moralistas e antiéticas. E que vença a cultura e a liberdade de expressão.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP