Tag: Romance

No artigo “Breve resumo da literatura norte-rio-grandense” (A Imprensa, 18 jun. 1922), Câmara Cascudo afirmava: “Com noventa anos de literatura (do primeiro jornal em 1832 a hoje) possuímos meia dúzia, se tanto, de livros em prosa”.  Sete anos depois, em outro artigo (“Para fazer um romance…”, A República, 08 dez. 1929), o então Príncipe do […]

Continuar Lendo

Fruto de um homem, definitivamente, das letras, que já havia passeado antes pela poesia, ensaios e outros livros, o romance Rastejo levou cerca de quinze anos para ser finalizado. O autor é Humberto Hermenegildo de Araújo, professor de literatura aposentado da UFRN, colaborador do Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-rio-grandenses da UFRN, uma reconhecida figura […]

Continuar Lendo

“O dia em que o mundo acordou” [Romance escrito para o Twitter. Original: https://twitter.com/#!/cruviana1] [1] O Twitter sempre me pareceu algo inacabado, por isso, repeti o de sempre. A hashtag era apenas mais uma sugestão desinteressada. [2] #moralizejá. Escrevi junto de uma frase pouco antes de desligar o PC. Cai no sono e acordei com […]

Continuar Lendo

Por Conrado Carlos Feito um alucinado, Mateus corre pelas ruas de Yerushalaim no encalço da multidão que segue três criminosos prestes a serem crucificados. Desesperado, analisa a possibilidade de esfaquear Yeshua ha-Notzri, seu mestre. A obsessão assassina do discípulo é impulsionada pelo desejo de estancar o sofrimento do filho de Nazaré. De repente, invade um […]

Continuar Lendo

Por Cristovão Tezza FSP Uma amostra quase que didática da simbiose entre os dois gêneros encontra-se na novela “O Dia da Coruja” A VOCAÇÃO ensaística do romance moderno, mesmo abalada pelos movimentos formais do início do século 20, que lutavam pela utopia da “literatura pura”, nunca saiu de cena.

Continuar Lendo

Diz uma anedota que o filósofo Gyorgy Lukács reviu suas opiniões sobre a obra de Franz Kafka depois dos excessos praticados pelos soviéticos em represália à revolução húngara de 1956, defendida, entre outros, pelo autor de A teoria do romance. Se, até então, Kafka não passava, para o filósofo húngaro, de um autor “burguês” e […]

Continuar Lendo
Vá para Topo