Tédio dos escândalos

Amigos:

Confesso que essa história de disse-não-disse, agenda-não-agenda, cor de vestido e iluminação de gabinete me dá um tédio danado. Que tal lermos umas quadras de Fernando Pessoa? Ou um daqueles poemas de combate moderno de Manuel Bandeira? Tem mais política aí que acolá.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo