Téo & Edite

Jota Mombaça

por favor não se mate na sala de estar
porque eu não suporto mais o peso do teu cadáver
e nem quero limpar as manchas que você faria no estofado

cometa ao menos um crime passional
toque fogo nesta casa
envenene minha comida e coma junto
atire contra meu peito e contra o seu
esfaqueie as minhas costas e a sua jugular
ligue o gás e feche as portas

você nunca fez nada por nós dois

Comentários

Há 8 comentários para esta postagem
  1. Alberto 26 de outubro de 2015 23:25

    Amo este poema. Achei depois de tanto tempo

  2. Jarbas Martins 10 de fevereiro de 2011 9:58

    antológico!

  3. Pingback: Tweets that mention Substantivo Plural » Blog Archive » Téo & Edite -- Topsy.com
  4. Aline Patricia 8 de fevereiro de 2011 20:34

    A Literatura trazendo o olhar duro, o indiferentismo que geralmente não conseguimos sustentar diante da vida.

  5. carito 8 de fevereiro de 2011 10:01

    pós-moderna arquitetura…

  6. carito 8 de fevereiro de 2011 9:53

    a dura da mistura, a graça do mombaça…

  7. gustavo de castro 8 de fevereiro de 2011 9:21

    gostei, gostei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo